Prefeitura de Franca aprova construção de mais de 1,4 mil casas populares

  • Entre linhas
  • Publicado em 3 de fevereiro de 2017 às 16:39
  • Modificado em 8 de outubro de 2020 às 18:06
compartilhar no whatsapp compartilhar no telegram compartilhar no facebook compartilhar no linkedin

Novo bairro chamará Nossa Senhora das Graças e está localizado entre os Jardins Paineiras e Luiza II

Reunião marcou as diretrizes para implantação do novo conjunto habitacional em Franca (Foto: Prefeitura de Franca)

O sonho da casa própria ficará mais perto de ser realizado para muitas famílias em Franca. É que um novo empreendimento aprovado pela Prefeitura de Franca, através da Secretaria de Planejamento, prevê a construção de 1.421 casas na zona norte da cidade, entre os bairros Jardim Paineiras e Jardim Luiza II.

O projeto prevê moradias com dois tamanhos diferentes: 555 residências de 45,47m² a serem construídas em loteamento aberto; 866 Residências de 47,31m² a serem construídas em 7 condomínios, além de 45 lotes comerciais no loteamento aberto.

O prefeito Gílson de Souza lembra que a construção das casas vai contribuir para diminuir o déficit habitacional da cidade e trará vários benefícios paralelos como o emprego direto de grande número de funcionários da construção civil, criação de vários empregos indiretos e o fomento do comércio de forma geral e de materiais de construção, especificamente. E anuncia que novos empreendimentos estão previstos para breve.  

Fachada das casas a serem construídas no novo bairro em Franca (Foto: Divulgação)

O novo bairro terá o nome de Jardim Nossa Senhora das Graças e sua implantação está a cargo do Grupo Pacaembu com financiamento da CEF dentro do programa Minha Casa Minha Vida. Desta forma, as moradias são destinadas a famílias com renda mensal de até 3 salários mínimos.

O coordenador de projetos de empresa Tadeu Tocci esteve no dia 31 de janeiro no Gabinete do Prefeito Gilson de Souza para apresentar o projeto urbanístico e agradecer o empenho da prefeitura para agilizar o andamento do processo com vistas a atender importantíssima demanda da população mais carente.

De acordo com o coordenador, o projeto já foi aprovado pelos órgãos competentes Grapohab, CETESB e SABESP e está em trâmite no Cartório de Registro de Imóveis.