Esporte ajuda crianças com câncer a superar período de pandemia

  • Salvador Netto
  • Publicado em 25 de dezembro de 2020 às 23:09
  • Modificado em 11 de janeiro de 2021 às 12:40
compartilhar no whatsapp compartilhar no telegram compartilhar no facebook compartilhar no linkedin

Famílias do Instituto em Ação Esporte proporciona recreação, lazer e atividade física

A pandemia de Covid-19 tornou o ano de 2020 ainda mais desafiador para as crianças em tratamento de câncer e familiares abrigados no Instituto Ingo Hoffmann. 

Para enfrentar o momento delicado, dificultado pela imposição de isolamento social, o projeto Famílias do Instituto em Ação Esporte manteve os pequenos e os adultos em movimento. 

Com medidas sanitárias mais rígidas e outras adaptações, proporcionou atividades físicas na academia e momentos de recreação.

O objetivo do projeto é oferecer mais conforto e qualidade de vida às crianças e suas respectivas famílias em tratamento do câncer, atendidos pelo Centro Infantil Boldrini, hospital referência mundial em tratamento de crianças, no interior paulista. 

A academia montada no Instituto Ingo Hoffmann tem infraestrutura com esteiras, bicicletas ergométricas, halteres e bola de pilates para os pais, além de profissional que acompanha e instrui as atividades.

Desde março, em decorrência da pandemia, as atividades passaram a ser realizadas com atenção redobrada à higienização do ambiente e uso de máscaras e álcool em gel. 

Além disso, o distanciamento social foi estabelecido com o revezamento de pessoas dentro da academia, para que o local tenha sempre um número reduzido de praticantes, com maior espaço.

“Durante a prática da atividade física, nosso corpo libera o hormônio serotonina, que age promovendo um sensação de bem estar e prazer imediato, diminuindo assim, o estresse e a ansiedade , que são os sintomas mais que acometem os acompanhantes das crianças e adolescentes que estão em tratamento oncológico”, aponta a professora Gabriela Silva.

A boliviana Maritza Allorto está no Instituto Ingo Hoffmann há oito meses, acompanhando o tratamento da filha, Karla, e aponta a prática de esporte como fundamental durante esse período. 

“Eu estava muito estressada quando cheguei aqui. E o estresse mata a gente lentamente. Mas o exercício me deixou mais relaxada. Vou todos os dias à academia, faço caminhada, bicicleta, um pouco de atividades para os braços, as pernas. E à noite durmo bem melhor.”

Recreação para as crianças

O projeto Famílias do Instituto em Ação Esporte também contempla as crianças. Para elas, são desenvolvidas atividades esportivas recreativas, respeitando a faixa etária, as condições físicas e o estágio de tratamento de cada uma.

Durante o período da pandemia, com a necessidade de distanciamento social, a prioridade foi criar atividades para divertir e estimular algumas partes fundamentais do corpo, como reflexo e funcionamento do cérebro. Entre eles, jogos de tabuleiro, quebra-cabeças e brincadeiras como “batata quente”.

“É muito importante realizar esses tipos de jogos que trabalham com a rapidez do pensamento, dos movimentos corporais, entre outras funções que são afetadas por algum câncer”, explicou a professora Gabriela.

A viabilidade do projeto de esporte, denominado Famílias do Instituto em Ação Esporte, se dá através da Lei de Incentivo ao Esporte, programa de incentivo do Ministério da Cidadania, Secretaria Especial do Esporte e tem como patrocinadores: CI&T, TENNECO, DR1V, WestRock, Banco Safra, ABL, 2º Tabelião de Protesto de Campinas e CRODA.