Formula Chopp

Vereadores querem inserir conceito de “cidade inteligente” no Plano Diretor francano

  • Marcia Souza
  • Publicado em 15 de junho de 2021 às 10:00
compartilhar no whatsapp compartilhar no telegram compartilhar no facebook compartilhar no linkedin

Os vereadores Daniel Bassi e Donizete da Farmácia são os autores do projeto que pretende planejamento inteligente para Franca

Donizete da Farmácia e Daniel Bassi

Daniel Bassi e Donizete da Farmácia são os autores do projeto que pretende um planejamento a longo prazo e desenvolvimento da cidade

Os vereadores Daniel Bassi e Donizete da Farmácia apresentaram requerimento ao prefeito Alexandre Ferreira, aprovado pela Câmara e sancionado por Ferreira, tratando da inclusão do conceito de “cidade inteligente” no Plano Diretor de Franca.

A equipe da Secretaria de Planejamento Urbano vem trabalhando na elaboração de um novo Plano Diretor e os vereadores solicitam a inclusão de tópicos do projeto “Smart Cities” (Cidades Inteligentes) no mesmo.

Implantação

“Ressaltamos que parcela significativa das medidas da lei promulgada demandam tempo para suas respectivas implantações, sendo necessário que sejam inseridas o quanto antes no novo Plano Diretor, para que possam ser cumpridas”, argumentam os vereadores no Requerimento.

Daniel Bassi explica que o projeto prevê a implantação de políticas voltadas, como diz o nome do projeto, à inteligência na resolução de problemas de forma eficiente, no interesse coletivo e responsabilidade ambiental, promovendo o desenvolvimento social e estimulando o crescimento econômico equilibrado.

“Estamos no pioneirismo, pois Franca é a terceira cidade do estado de São Paulo a criar essa lei. E agora é um oportunidade excelente para implantar estes conceitos no Plano Diretor”, afirmou Bassi.

Smart Cities

O projeto Smart Cities prevê uma distribuição equilibrada nos loteamentos pela cidade, o incentivo à sustentabilidade, redução no consumo de papel, toner e copos descartáveis nas repartições públicas. “Visa a uma cidade mais planejada, inteligente e produtiva”, disse Donizete.

No conceito do projeto, a administração pública municipal vai se preparar, fazendo uso de técnicas modernas como tecnologia da informação, comunicação digital, organização e programação estratégica, entre outros.

“Franca será moderna, economizando recursos e melhorando a qualidade de vida da população”, garante Bassi.


+ Política