Formula Chopp

Revista Casa & Jardim, a mais conceituada da área, destaca projeto em Franca

  • Cesar Colleti
  • Publicado em 26 de agosto de 2017 às 14:07
  • Modificado em 8 de outubro de 2020 às 18:19
compartilhar no whatsapp compartilhar no telegram compartilhar no facebook compartilhar no linkedin

Revista Casa & Jardim, da Editora Globo, mostra residência diferenciada construída em Franca

Olhar a paisagem de todos os ângulos. Essa era a prioridade no projeto desta casa em condomínio na cidade de Franca, interior de São Paulo. 

Por isso, a construção plana de 516 m² ocupa a parte alta do terreno de 2 mil m², composto por dois lotes, ligeiramente em declive para a esquerda. 

Antes de erguê-la, foi necessário preencher a área inclinada com terra, criando o desnível de 90 cm na divisa dos lotes. Isso possibilitou a instalação da piscina com raia oficial e borda infinita e, ainda, o deque e a cozinha gourmet, que parecem flutuar no jardim. 

No lote baixo foi plantada uma floresta para a qual se abrem todos os ambientes da casa. “Essa conexão do interior com o exterior foi o principal pedido do casal de moradores, com dois filhos”, conta o arquiteto Filipi Oliveira, um dos autores do projeto e um dos sócios do escritório mf+arquitetos.

O estilo de vida naturalista da família, que gosta de estar cercada pelo verde, também influenciou na volumetria da construção destacada por diferentes materiais naturais. 

A madeira define o bloco dos quartos; e o concreto aparente, a área de lazer. Fechado por painéis deslizantes de vidro, o living, com as salas de estar e de jantar, fica entre esses dois blocos. No eixo de entrada, voltado para a fachada frontal, estão o hall social e o de serviço, a cozinha, a lavanderia e as despensas. 

“Dá para chegar direto na área de lazer, separada do hall social por porta pivotante de alumínio composto”, diz Filipi. Nas laterais do módulo de concreto, os arquitetos colocaram portas de correr de aço corten, que, para deixar os vãos totalmente abertos, se recolhem dentro de paredes, com efeito sanduíche, compostas internamente por painel de gesso.

Na fachada voltada para a floresta, há uma porta com abertura tipo camarão de muxarabi de cedro, igual às dos quartos.

Para proteger as portas de madeira, a laje da cobertura avança em balanço 2,80 m na fachada do volume dos quartos, voltada para o nascer do sol, ao leste. “O largo beiral transforma-se em extensa varanda com acesso à piscina”, explica Filipi. 

No lado oposto, fica o corredor dos quartos, que é separado por painéis de vidro do recuo ao muro do vizinho. Nessa área foi criado um jardim que se estende na lateral do living, protegido por brise de madeira e por vidro. 

“Para ter ventilação cruzada nas salas, basta abrir os painéis de vidro nas duas fachadas”, diz o arquiteto. Outro desejo dos moradores foi o acesso à cobertura. “Instalamos a escada no hall de entrada. Lá em cima colocamos deque para a prática de ioga com outras vistas do condomínio.”

Com painéis de vidro em caixilho de alumínio da Esquadrias 2 Irmãos dos dois lados, as salas ficam totalmente integradas aos espaços externos. Ao fundo, o muro do jardim é de pedra madeira da Pedras Mundial (Foto: Renato Moura / Divulgação)

O painel de madeira ripada reveste a parede e define o módulo das quatro suítes com o corredor envidraçado para o jardim no recuo lateral (Foto: Renato Moura / Divulgação)

 Desenhada pelo escritório mf+arquitetos, a porta com abertura tipo camarão é composta de painéis de muxarabi feitos de cedro. Ela ocupa todo o vão da fachada do bloco de concreto voltada para a floresta (Foto: Renato Moura / Divulgação)

Os banheiros sociais ficam atrás da parede de tijolos de demolição onde estão o forno a lenha e a pia, com tampo de inox da Mekal e metais da Franke. Na ilha de pedra da Granart, fogão e chapas da Gaggenau (Foto: Renato Moura / Divulgação)

A piscina com borda infinita é revestida dentro e fora de pedra hijau da Palimanan, na Ponto Bello Acabamentos (Foto: Renato Moura / Divulgação)

Fachada lateral. O deque de madeira e o bloco de concreto parecem flutuar no jardim devido à laje do piso em balanço, que evidencia o desnível de 90 cm entre os dois lotes no terreno (Foto: Renato Moura / Divulgação)