[bsa_pro_ad_space id=1]

Inflação pesada: produtos da ceia de Natal estão até 40% mais caros

  • Rosana Ribeiro
  • Publicado em 21 de dezembro de 2020 às 03:19
  • Modificado em 11 de janeiro de 2021 às 12:14
compartilhar no whatsapp compartilhar no telegram compartilhar no facebook compartilhar no linkedin

Considerando todas as comidas e bebidas típicas da mesa no fim do ano, o aumento, na média, é de 20%

Alguns itens da ceia de Natal tiveram aumento nos preços em decorrência da alta do dólar e da inflação. 

Considerando todas as comidas e bebidas típicas da mesa no fim do ano, o aumento, na média, é de 20%, mas alguns ingredientes chegam a estar 40% mais caros. Consumidores estão buscando alternativas.

Bacalhau, azeite e vinho, que são produtos importados, cotados em dólar, subiram de preço. 

O lombo de porco está 42% mais caro. Picanha, peru, sorvete, pernil e queijo ralado tiveram aumento entre 20 e 30% na comparação com o ano passado. 

O economista da Fipe (Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas) Guilherme Moreira explica que há uma combinação de fatores que causam este impacto no reajuste. 

“A taxa de câmbio encareceu o produto aqui dentro e a China e os mercados externos também estão importando muito do Brasil”, diz.

A advogada Cristiane Linhares, entrevistada pela CNN, afirma que as tradições não poderão ser mantidas no ano atípico de 2020. 

“Eu acho que as tradições vão ter que ficar um pouco para trás. Vamos ter que renovar, mudar tudo aquilo que planejamos. Este ano o Natal vai ter que ser diferente”, afirma.

*Informações CNN


[bsa_pro_ad_space id=19]