Formula Chopp

Empresa Cristalense foi vendida para a viação São Bento, que já opera linhas

  • Cesar Colleti
  • Publicado em 6 de fevereiro de 2020 às 16:43
  • Modificado em 8 de outubro de 2020 às 20:21
compartilhar no whatsapp compartilhar no telegram compartilhar no facebook compartilhar no linkedin

Dos 5 sócios, quatro venderam suas participações e apenas um ficou com suas linhas suburbanas e regionais

​A Empresa Cristalense comercializou 80% de suas linhas para a Viação São Bento. A transação começou em 2019 e foi concluída em janeiro de 2020, com o início da operação pelos novos donos. Apenas três linhas não foram vendidas.

A discussão em torno da venda das linhas pelos donos da Cristalense decorre de vários fatos. Como era uma empresa familiar, cada um dos cinco irmãos assumiu uma  função na direção.

Além disso, cada um deles era responsável por administrar linhas específicas, suburbanas ou regionais, entre Franca e municípios próximos.  

Porém, no ano passado, após a venda da linha Franca/Itirapuã os proprietários da São Bento – que já vinham investindo no crescimento da empresa, resolveram dar um passo maior e ofereceram uma proposta para a aquisição total das linhas. 

De todos os irmãos e parentes, apenas Vicente Moraes ficou com sua parte, que são as linhas de Restinga, São José da Bela Vista e São Joaquim da Barra (e a permanência do nome Cristalense Transportes e Turismo). 

O Jornal da Franca confirmou a negociação de compra e venda das linhas tanto junto à família Moraes quanto ao grupo Bragheto, detentora da Viação São Bento. 

A viação São Bento confirmou a aquisição das linhas da Cristalense e segundo sua assessoria está realizando adequações e reestruturação de ônibus para melhor atender aos passageiros.

Por sinal, a São Bento iniciou suas ações em São Joaquim da Barra e Igarapava em 1951.

Com o processo de expansão da empresa e ampliação de suas atividades através do prolongamento das linhas, aquisição de outras empresas e conexões que decorrem dessas aquisições, fez-se necessária a mudança da sede, a fim de que se centralizasse em Ribeirão Preto. 

Em 1960, a empresa adquiriu a Viação Santo Antônio, no ano seguinte parte do expresso São Luiz, 1962 a empresa Paiva e em 1966 a empresa Santa Rita, seguida pelas Viação Record, em 1969, e empresa Cruz, em 1970. 

Em 2013 a Viação São Bento adquiriu também algumas operações da empresa Vera Cruz e Triangulino.

Dando sequência na trajetória de crescimento da atual gestão (dezembro de 2010 até hoje) decorrente de alterações societárias ocorridas em agosto de 2005 e dezembro de 2010, a Viação São Bento implantou diversos projetos

Dentre eles, a renovação de 70% da frota – substituição de cerca de 100 veículos nos últimos anos, por equipamentos novos e de última geração com vistas ao atendimento do mercado e satisfação dos clientes.

Também investiu em sistemas de Informação – Informatização da empresa com novos sistemas de Gestão (ERP), Sistemas de gerenciamento e vendas de transportes e encomendas, fretamento e turismos e sistema de bilhetagem eletrônica.

Depois investiu no crescimento do mercado – com a aquisição de novas linhas interestaduais ligando Uberaba a Franca, Franca a São Sebastião do Paraíso, Araxá a Franca e a Ribeirão Preto.

Seguindo uma tendência do mercado de encomendas – estendeu a operação para a região Metropolitana de São Paulo, Região Metropolitana de Campinas e Jundiaí, dentre outras.


+ Negócios