Formula Chopp

Auxílio emergencial: pagamentos da nova rodada começam no dia 6 de abril – confira

  • Rosana Ribeiro
  • Publicado em 31 de março de 2021 às 18:00
compartilhar no whatsapp compartilhar no telegram compartilhar no facebook compartilhar no linkedin

Serão quatro parcelas de R$ 250, com exceção para mulheres chefes de família que receberão R$ 350 e famílias compostas por uma pessoa, R$ 150

PEC do Auxílio emergencial é aprovada

Pagamentos da nova rodada do auxílio emergencial começam na próxima semana

 

Os pagamentos do auxílio emergencial serão retomados em 6 de abril. Ao todo, serão quatro parcelas de R$ 250, com duas exceções: mulheres chefes de família receberão R$ 375 e famílias compostas por uma única pessoa, R$ 150.

“É um alento para o povo brasileiro. Esse auxílio emergencial viabilizado pela PEC emergencial com valor de R$ 44 bilhões servirá para quatro parcelas no ano de 2021, direcionado para o brasileiro vulnerável, pessoa que esteja passando dificuldades”, afirma João Roma, ministro da Cidadania.

“São recursos públicos para os quais temos que ter maior zelo.”

Segundo o ministro, houve cruzamento de mais de 200 fontes de dados para identificar os beneficiários que estavam aptos em dezembro a receberem o auxílio.

“Sem dúvidas, mais de 40 milhões de famílias poderão ter acesso ao benefício”, afirmou.

Pedro Guimarães, presidente da Caixa, disse que a lógica de pagamento seguirá o mesmo racional do calendário do ano passado, feito de forma a evitar aglomerações.

“Faremos primeiro os depósitos nas contas digitais, todos já têm as contas, então não há necessidade de abrir as contas, o que é importante para acelerar o pagamento”, explicou.

Depois de algumas semanas, será permitido o saque do dinheiro, assim como no programa do ano passado.

“A nossa expectativa é que mais da metade das pessoas já realize o gasto com pagamento de conta digitalmente. Isso é um legado do governo Bolsonaro porque esta população está bancarizada e teve uma inserção digital”, acrescentou o executivo.

*Informações CNN


+ Economia