Formula Chopp

Menino de 11 anos prepara marmitas para moradores de rua em meio à pandemia

  • Rosana Ribeiro
  • Publicado em 9 de maio de 2021 às 10:30
compartilhar no whatsapp compartilhar no telegram compartilhar no facebook compartilhar no linkedin

Depois de ver moradores de rua passando fome, garoto começou iniciativa que logo mobilizou outras pessoas em prol dos mais necessitados

Ramon, de 11 anos, decidiu ajudar os mais necessitados neste momento tão difícil da pandemia

 

Depois de ver moradores de rua passando fome, Ramon Hsieh, de apenas 11 anos, resolveu buscar uma maneira de ajudar os mais necessitados, especialmente em meio à pandemia de Covid-19, e assim começou a preparar marmitas para ajudá-los.

Logo, sua iniciativa, que no começo contou com o apoio de seus pais, mobilizou diversas outras pessoas em uma onda de solidariedade em prol dos mais necessitados.

A iniciativa fez o pai, o publicitário Fauze Hsieh, registrar os momentos do filho na cozinha.

Logo as fotos e vídeos cozinhando em cima de um banquinho no fogão foram parar nos grupos de WhatsApp e, assim, a ação viralizou e ganhou mais adeptos.

Ramon, que sequer pensa em ser cozinheiro um dia, acabou ganhando o apoio da família inteira e colocou todo mundo para trabalhar.

“Vi como eles passavam fome, fiquei com dó e comecei a fazer”, afirmou o menino à CNN.

O processo, de mão em mão, ficou mais rápido até chegar à embalagem.

No começo, eram apenas 10 marmitas; hoje, já são mais de 400 – graças à empatia de outras pessoas engajadas na ideia de Ramon.

“Hoje temos mais de 50 pessoas envolvidas fazendo marmitas, comprando ingredientes, indo ajudar a distribuir”, contou o pai do garoto.

Iniciativa semelhante

A estudante de moda Maria Clara Abud, de 20 anos, deixa os estudos de lado uma vez na semana para cortar, temperar, cozinhar e servir todas as marmitas exatamente com a mesma quantia: 400 gramas.

Para muitos moradores de rua, é a primeira refeição do dia.

“Vou voltar para casa melhor sabendo que mais pessoas vão dormir com a barriga cheia”, disse Ramon.

“Não dá para dormir em paz sabendo que muita gente não tem o que comer. Faz o meu dia melhor cada vez que venho aqui”, afirmou Maria Clara.


+ Boas Ações