INSS devolve R$ 60 mi a 800 mil aposentadorias; Saiba quem tem direito

  • Cesar Colleti
  • Publicado em 8 de novembro de 2019 às 11:45
  • Modificado em 8 de outubro de 2020 às 20:00
compartilhar no whatsapp compartilhar no telegram compartilhar no facebook compartilhar no linkedin

Dinheiro vai ser devolvido para quem reclamou de descontos indevidos por associações de aposentados e outros

Os aposentados e pensionistas do Instituto Nacional do Seguro Nacional (INSS) entraram no radar de instituições financeiras e associações que induzem os beneficiários a contratarem serviços e empréstimos com parcelas debitadas diretamente no benefício.

No entanto, quem for prejudicado pode ter direito à devolução em dobro e indenização por danos morais. 

No Estado de São Paulo, por exemplo, as queixas feitas à Fundação Procon-SP por aposentados e servidores públicos sobre descontos indevidos nos salários subiram de 2.269 para 6.801 na comparação entre 2017 e 2018. Isso representa um aumento de 199,7%.

Somente até 10 de julho deste ano, 7.564 reclamações foram registradas, ou seja, mais do que o acumulado no ano passado (2018). As principais queixas são referente associações de assistência a aposentados e servidores, além de corretoras de seguros.

No caso dos segurados do INSS, o órgão faz um bloqueio preventivo dos débitos quando é comunicado pelo cidadão sobre uma possível irregularidade. Se a fraude for confirmada, os valores descontados são devolvidos ao beneficiário.

De acordo com o site Folhapress, a crise dos descontos indevidos nos benefícios tem feito o INSS a adotar medidas para identificar e interromper os golpes e o assédio financeiro contra os beneficiários.

Pela primeira vez, em junho deste ano, o órgão suspendeu repasses a associações de aposentados e pensionistas. Caso a investigação confirme as fraudes, até 800 mil segurados poderão receber de volta valores debitados indevidamente de suas contas.