Franca é líder no volume de empregos da indústria paulista no quadrimestre

  • Robson Leite
  • Publicado em 29 de junho de 2022 às 19:00
compartilhar no whatsapp compartilhar no telegram compartilhar no facebook compartilhar no linkedin

Em abril deste ano, quando registraram crescimento de vagas de 1,82%, as fábricas da região de Franca empregavam 50.489 pessoas.

Nos primeiros quatro meses de 2022, o parque industrial sob a jurisdição da Diretoria Regional do CIESP de Franca foi o que apresentou o maior saldo positivo de empregos formais do setor no Estado, com 3.989 postos de trabalho. Em seguida, estão Araçatuba, com 3.720, e a cidade de São Paulo, com 3.383.

A informação é de Rafael Cervone, presidente do Centro das Indústrias do Estado de São Paulo.

Segundo ele, em abril, quando registraram crescimento de vagas de 1,82%, as fábricas da região empregavam 50.489 pessoas.

É o que demonstrou estudo do CIESP e da FIESP, com base em estatísticas do Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados).

Saldo líquido

No Brasil, o saldo líquido de vagas formais em abril foi de 196.966. Deste total, a indústria de transformação colaborou com 22,5 mil postos de trabalho. No quadrimestre, o País acumula 770,5 mil.

São Paulo foi a unidade federativa que mais contribuiu para o resultado no mês, com 53,8 mil empregos, sendo 11,8 mil no parque fabril. O saldo positivo paulista acumulado no ano é de 218,2 mil.

“Os dados referentes à manufatura paulista e nacional reforçam a relevância do setor, bem como a necessidade de seu fortalecimento e de um ganho exponencial de sua competitividade, para que possamos criar cada vez mais empregos, oferecer amplas oportunidades de inclusão socioeconômica e proporcionar vida de melhor qualidade aos brasileiros”, diz Cervone.

Planejamento

“Por isso, temos defendido vigorosamente uma política industrial com planejamento e previsibilidade, ancorada por pesquisa e desenvolvimento e que abranja linhas especiais de crédito, incentivos regionais à produção e sistema tributário indutor de investimentos”, acrescenta o presidente do Ciesp.

“Neste momento em que estamos superando a pandemia, o cenário ainda é instável. Mais do que nunca, como já estão fazendo numerosas nações, o Brasil precisa reposicionar a indústria como protagonista da retomada mais vigorosa do crescimento econômico”, diz ele.

Para o presidente do Ciesp, “os números referentes aos empregos gerados pelo setor na região, no Estado e no País mostram o quanto o chão de fábrica é capaz de enfrentar e vencer esse desafio”.

Rafael Cervone, engenheiro e empresário, é o presidente do Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (CIESP).