Dormir com o “barulhinho” da chuva faz bem para o sono e acalma. Você sabe por que?

  • F. A. Barbosa
  • Publicado em 7 de outubro de 2021 às 21:00
compartilhar no whatsapp compartilhar no telegram compartilhar no facebook compartilhar no linkedin

Sensação agradável está relacionada ao estado de relaxamento que o barulho constante traz, principalmente ao sono noturno

Sensação agradável está relacionada ao estado de relaxamento que o barulho constante traz, principalmente ao sono noturno

O ruído dos salpicos de chuva na janela gera uma sensação de conforto e segurança que ajuda a relaxar e a adormecer.

E mesmo quando não chove, várias apps disponibilizam uma panóplia de faixas que reproduzem sons da natureza com o intuito de proporcionar um sono tranquilo.

Qual a explicação?  

“O nosso cérebro é induzido a um estado mental de relaxamento ao despertar as memórias que nós relacionamos com esse som” explica Fabio Porto, neurologista do Hospital das Clínicas da FMUSP (Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo).

“Estes sons remetem-nos para um lugar tranquilo e fazem-nos esquecer o stress”, continua o especialista.

Temos tendência para associar dias chuvosos ao conforto do sofá, chocolate quente, um pijama confortável e essas associações remetem-nos para sensações acolhedoras e acabam por nos transmitir tranquilidade.

Bloqueio

Outra tese é que os sons naturais “bloqueiam” os ruídos do ambiente, que nos incomodam e trazem irritabilidade.

São aquilo que se chama de ruído branco – um sinal sonoro que contém todas as frequências na mesma potência, fazendo com que o limiar auditivo atinja seu nível máximo.

Isso significa que, na presença desse tipo de som, os estímulos auditivos mais intensos têm menos capacidade de ativar o córtex cerebral.

Orfeu Buxton, investigador de doenças do sono na Universidade de Harvard, explica que para compreender porque é que o som rítmico da chuva que ouvimos quando bate no telhado, no chão, ou contra as janelas dos quartos nos ajuda a adormecer, está relacionado com os nossos antepassados.

“Na pré-história, quando o ser humano vivia ao ar livre e tudo era calmo à sua volta sem ameaças à vida, à noite reinava o som da natureza. Assim podiam ouvir a agitação suave do vento, a queda da chuva, e os sons mais suaves de pequenos animais e insetos.

Estes sons lentos e sibilantes representam a calma. Não são uma ameaça, por isso ajudam a relaxar.”

Tem quem não gosta

Mas, atenção! Também há pessoas que não gostam dos barulhos da natureza por associarem a memórias menos positivas e, se é o seu caso, o melhor é tentar relaxar ao som de, por exemplo, um tipo de música que habitualmente o deixa calmo.


+ Bem-estar