Levantando a BANDEIRA na coluna FOFOCAS MUSICAIS

19/NOVEMBRO – Dia da BANDEIRA DO BRASIL. QUE SEJA PELA EDUCAÇÃO

Postado em:

​ALFABETIZAÇÃO

Quando se entra na escola e vai participar de um processo de alfabetização, existem métodos para isso, mas todos eles vão ensinar o ABECEDÁRIO de alguma forma, seja por associação, dedução, raciocínio lógico ou qualquer metodologia que propicie ensinar a pessoa a ler.

Quando se começa a estudar um instrumento musical no aprendizado formal de alfabetização, também é o mesmo caso. Existem informações básicas que serão fornecidas para que a pessoa possa fazer o equivalente a juntar sílaba sozinha, formar uma palavra, uma frase, ler o que está escrito, fazer isso em qualquer momento de sua vida quando se deparar com estes símbolos.

Quando ensinamos uma pessoa a ler notas musicais, estamos ensinando um idioma, que depois, ela poderá utilizá-lo em várias situações.

Existe um processo de alfabetização que consiste em fornecer subsídios para que a pessoa interprete os símbolos, então ela vai aprender o significado de cada um. E isso é um processo que exige paciência, treino, observação, para quando estiver completamente alfabetizada possa  ler estes símbolos em qualquer parte do mundo porque eles vão dizer a mesma coisa:  a leitura de partituras é UNIVERSAL.

Mas o que acontece no Brasil é que as pessoas não esperam uma criança ser alfabetizada e quando ela já toca as primeiras notinhas, começam a pressionar para tocar a música do filme em cartaz, a música da novela, a música que fulano mais gosta, e assim por diante , sem esperar que seja feito o processo de alfabetização por completo. Uma ansiedade extrema em querer ver tocando e a criança se sentindo cobrada o tempo todo começa a desistir, porque está apenas juntando letras para fazer sílabas e as pessoas estão cobrando dela que forme frases em alemão, italiano, inglês, quando na verdade ainda estão entendendo o processo .

É lamentável que não se tenha informação e cultura.  Hoje em dia a pressa, o imediatismo, a cobrança por parte dos adultos, faz uma criança não querer mais continuar, o fardo é pesado. Vejo crianças orientais fazendo o processo de alfabetização com tranquilidade, passo a passo, sem que os adultos queiram exibir o quanto ela sabe antes dela realmente saber.

Chega a ser desanimador quando oferecemos um Mozart, um Beethoven, um Bach para uma criança começar a entender o raciocínio musical daqueles mestres, e ela não ouve em casa, ninguém conhece, não tem acesso e então a criança é colocada num curso de música clássica, mas ouve somente um tipo de música em casa, completamente diferente disso.  Há que se ouvir de tudo, para que se dê cultura àquela criança.  Logicamente, este ‘ de tudo ‘ não estamos falando das porcarias jogadas na mídia dizendo ser músicas, mas que na verdade são verdadeiros lixos.

ALFABETIZAÇÃO É UM PROCESSO!

Precisa de tempo para ser bem elaborado!

Hoje vejo pessoas criticando tudo,  desde a escola, os professores, as regras, a metodologia ,enfim, na frente das crianças os adultos criticam as escolas que eles mesmos escolheram para as crianças. O que esta criança pensa?  “-  Por que estou nesta escola que não presta?  Não vou obedecer ao que me pedem. Não preciso acreditar no que a professora diz.” E por aí vão as mensagens que a criança absorve sobre comentários indevidos e falta de respeito ao que eles mesmos escolheram. Crianças que querem ter amigos na escola e os pais não permitem porque podem ser influenciadas negativamente. Ficam solitárias e desenvolvem comportamentos de fuga e outros.

Alfabetização EMOCIONAL  seria este  caso. A criança está tendo oportunidade de conviver com todas as pessoas a seu redor, e édito a ela que só existe uma perfeição: o seu lar, que muitas vezes está completamente desestruturado.

ALFABETIZAÇÃO  AO PIANO

É inacreditável  o que os adultos fazem com as crianças que estão sendo alfabetizadas nos instrumentos musicais. Em nosso grupo de professores online, trocamos informações sobre a didática, como aplica-la , nossas dificuldades e facilidades. É incrível o que aparece de pais atrapalhando o desenvolvimento dos filhos. Primeiramente a falta de cultura mesmo. Não tem a menor ideia do que seja tocar um instrumento e palpitam como deve ser. Outros, levam os filhos somente para ter a aula da semana e não tem a capacidade de sentar com o filho e incentivá-lo. Outros, só querem modinha ou moda antiga ou a música que eles gostam de ouvir e que o filho aprenda logo, afinal está pagando. Estamos num estado de ignorância lastimável. Outros só criticam a todos e não observam as anotações, dizem não ter tempo. E assim estamos nós aculturados sobre como educar , aculturados sobre música, aculturados sobre todos os assuntos que exijam um pouco mais de estudo, dedicação e firmeza.

Que possamos reverter esta ignorância que está mais forte nas classes com maior poder aquisitivo, porque se ocupam em apenas gastar o dinheiro com superficialidades.

*Esta coluna é semanal e atualizada aos domingos.