Twitter proíbe discurso de ódio com base em raça, etnia e naturalidade

  • Salvador Netto
  • Publicado em 3 de dezembro de 2020 às 19:23
  • Modificado em 11 de janeiro de 2021 às 10:22
compartilhar no whatsapp compartilhar no telegram compartilhar no facebook compartilhar no linkedin

A rede social diz existir uma ligação entre discurso de ódio e comportamentos violentos offline

O Twitter aprovou novas regras no âmbito da sua política de discurso de ódio, que passa agora a incluir “raça, etnia e naturalidade”. 

De acordo com a empresa, a aprovação destas novas regras prende-se à intenção de tentar reduzir os comportamentos violentos offline, uma ligação que as suas investigações dizem existir.

O Twitter anuncia que exigirá que os usuários apaguem quaisquer ‘tweets’ com linguagem que desumanize outras pessoas com base nos três novos parâmetros, adiantando que o seu sistema vigiará automaticamente o comportamento dos utilizadores.

Ainda que esta aprovação seja vista com bons olhos, o Twitter também está sendo criticado por ter demorado tanto tempo a implementar estas regras. 

Como nota o “Engadget”, há anos que o Facebook tem estas regras mas, de acordo com o Twitter, a lentidão prende-se ao fato de buscar a criação de medidas eficazes.