Surpresa (nada) agradável: alguns alimentos não são aquilo que você pensa; entenda!

  • Rosana Ribeiro
  • Publicado em 3 de abril de 2022 às 07:30
compartilhar no whatsapp compartilhar no telegram compartilhar no facebook compartilhar no linkedin

Se você é daquelas pessoas que quando vai fazer suas compras acredita realmente que o que está comprando é o que a embalagem diz, é melhor desconfiar!

 

Nem tudo o que dizem as embalagens de alimentos vendidos nos supermercados é verdade!

 

Se você é daquelas pessoas que quando vai fazer suas compras acredita realmente que o que está comprando é o que a embalagem diz, é melhor desconfiar!

Alguns alimentos que achamos que são exatamente aquilo que está descrito nas embalagens podem esconder alguns segredinhos nada agradáveis, quer ver só?

Presunto cozido

Com o nome “presunto cozido” deve-se realmente assumir que a carne que é consumida é realmente presunto. Este infelizmente não é o caso.

O presunto cozido geralmente é feito de diferentes partes do porco (ou seja, não apenas da área do pernil), que não são de qualidade significativamente inferior, mas mais baratas.

Néctar ou Suco

Néctar e suco não são absolutamente a mesma coisa, mas nem todos os consumidores sabem disso.

Além disso, a embalagem das duas bebidas parece confusamente semelhante. Uma garrafa de néctar contém apenas 50% de suco, o restante é composto de açúcar, água e aditivos.

Anéis de lula

Cuidado se você tirar os saquinhos conhecidos do freezer com os anéis pré-assados. Muitas vezes, não são lulas reais, mas espécies menores de lulas que foram amolecidas e embranquecidas com água e fosfatos.

Wasabi

A pasta “wasabi” que acompanha o sushi geralmente é apenas uma mistura de rábano, mostarda e corante, e tem muito pouco a ver com a planta japonesa que lhe dá o nome.

Apenas 5% dos restaurantes japoneses têm wasabi real em seus menus, pois o wasabi é um ingrediente muito raro que perde seu sabor em 15 minutos.

Chocolate branco

De alguma forma, as pessoas que dizem que chocolate branco não é chocolate de verdade estão certas.

Não contém cacau em pó e é feito de manteiga de cacau, leite e açúcar. Porque falta o cacau amargo, é tão macio e doce.

Queijo para gratinar

Para evitar a palavra “queijo análogo”, as imitações de queijo são frequentemente rotuladas como mistura para gratinar ou queijo para gratinar.

Este produto consiste em água, gordura vegetal, proteína do leite, amido e realçadores de sabor.

Por ser significativamente mais barato que o queijo de verdade, é frequentemente usado em alimentos prontos, congelados, principalmente os gratinados mais baratos dos mercados.

Carne moída

Se você espera que apenas carne de alta qualidade tenha sido usada na carne moída que compra, provavelmente é o mais otimista entre nós.

Principalmente se você não compra a carne do açougue em que confia, mas compra no supermercado, o teor real de carne pode ficar entre apenas 65% e 90%. O resto é amido, espessantes, proteína de soja, conservantes e corantes.

Batata chips

Batatas fritas são consumidas em todo o mundo. A qualidade varia enormemente: alguns são de altíssima qualidade, com ingredientes naturais. Outros ainda não merecem o nome de “batatas fritas” porque têm muito pouco a ver com batatas reais.

Uma marca internacionalmente conhecida de fabricantes de chips de batata teve que mudar o nome do produto de “batata chips” para “batata crisps” porque elas contêm apenas 42% de batatas. O restante é composto por farinha de arroz, milho, amido, óleos vegetais, sal e especiarias.

Kani-Kama

O frequentemente confundimos com carne de caranguejo barata é muitas vezes uma imitação chamada kani-kama.

A única coisa que o kani tem em comum com os caranguejos é a cor vermelha, que nem é natural.

A imitação de carne de caranguejo é feita de peixe magro picado e krill e processada em uma massa quase sem gosto, que é enriquecida com clara de ovo, amido, óleo, açúcar, sal e intensificadores de sabor. O kani obtém sua cor vermelha do extrato ou corante de páprica.

Bala de goma

Mesmo que as iguarias coloridas pareçam absolutamente inocentes e frutadas à primeira vista, as aparências também enganam desta vez.

Para a textura gomosa, a pele e os ossos de porco são fervidos ou embebidos em ácido para extrair o colágeno e a gelatina, respectivamente.

As “gomas de fruta” que mastigamos são, na verdade, nada mais do que cartilagem animal colorida misturada com sabores artificiais. Nem tão agradável quanto você esperava, não?!

*Informações Receitas sem Fronteiras


+ Curiosidades