Formula Chopp

Páscoa: em Franca, fábricas e confeiteiros estão a todo o vapor na produção de ovos

  • Nina Ribeiro
  • Publicado em 31 de janeiro de 2021 às 07:30
compartilhar no whatsapp compartilhar no telegram compartilhar no facebook compartilhar no linkedin

Em Franca, produção de ovos de Páscoa começou em dezembro de 2020. Expectativa é que a demanda seja grande mesmo com a pandemia

Expectativa é que a demanda de pedidos seja grande, mesmo com a pandemiaExpectativa é que a demanda de pedidos seja grande, mesmo com a pandemia

 

Em Franca, comerciantes  já estão adiantando a produção de Páscoa deste ano.

A expectativa é que a demanda de pedidos seja grande, mesmo durante a pandemia.

As fábricas de chocolates começaram a fabricação em dezembro de 2020.

Quem trabalha com os ovos artesanais em casa também já começou a produzir.

“Esta é a Páscoa da renda do ovo artesanal. Uma oportunidade para que as pessoas com baixo investimento iniciem seu negócio”.

“A gente já percebe a movimentação dos clientes, já comprando seus produtos para confeccionar os ovos”, explica Fabiano Arantes, dono de uma loja de artigos para festa e confeitaria.

Para conseguir atender a expectativa, as lojas e fábricas contrataram funcionários.

Em Franca, produção de ovos de Páscoa começou em dezembro de 2020Em Franca, produção de ovos de Páscoa começou em dezembro de 2020

 

“Nós tivemos 12 novas contratações para esse período de Páscoa. Entre essas pessoas tem algumas que já trabalharam com a gente, mas precisaram ser dispensadas por conta da pandemia e tem pessoas novas que vêm de outras áreas para aprender um pouquinho sobre o chocolate”, explica Larissa Tristão, coordenadora de Recursos Humanos de uma fábrica de chocolate.

A confeiteira Elisângela do Carmo Araújo trabalha com chocolate há 16 anos. Junto com o marido, eles tem uma loja e uma cozinha industrial na casa que moram, para que consigam atender aos pedidos.

“No ano passado, o ovo caseiro teve muita procura. A gente quase não deu conta. Ovos de colher, recheados e personalizados foram os mais pedidos”.

“Por conta dessa alta procura, a gente começou a fazer mais cedo esse ano para organizar melhor”, finaliza.

*Informações G1


+ Economia