Máscaras faciais ganham cores e estampas e viram peças de moda

  • Salvador Netto
  • Publicado em 31 de agosto de 2020 às 17:28
  • Modificado em 8 de outubro de 2020 às 21:10
compartilhar no whatsapp compartilhar no telegram compartilhar no facebook compartilhar no linkedin

Diversas opções de modelos, cores e estampas estão aí para provar que é possível manter o estilo

As máscaras faciais se tornaram um item obrigatório para proteger a própria saúde e a dos outros, em meio à pandemia do novo coronavírus. 

Tanto que chega a ser difícil de imaginar como seria, hoje, sair de casa sem a peça. E se a máscara está no guarda-roupa de todos, naturalmente que aqueles que se interessam pelo universo fashion a tratem como mais um artigo de moda.

Na avaliação da jornalista Lilian Pacce, consultora e curadora de moda, as máscaras são as novas camisetas e um bom outdoor de estilo e mensagens. 

“Além de se proteger, elas podem ser uma maneira de você se expressar”, diz ela, para quem o item continuará sendo essencial por pelo menos mais um ano. 

“A moda se mobilizou desde o começo, no sentido de colaborar mesmo. E acho bacana que muitas pessoas começaram a produzir e isso virou um negócio.”

Diversas opções de modelos, cores e estampas estão aí para provar que é possível manter o estilo mesmo em tempos de pandemia. 

O exagero nas cores e nos acessórios é uma marca do estilo da artista plástica Elisa Stecca, 54, que trabalha no segmento de joalheria e se diz apaixonada por moda. Agora, ela tenta se divertir ao integrar a máscara ao visual.

“Torna um pouco mais leve esse novo hábito. Para mim, é legal ter diversas possibilidades. É mais um item para você pensar, porque a máscara é também uma maneira de passar mensagens, com frases, desenhos, estampas”, diz Stecca.

“Existem duas maneiras de usar a máscara de uma forma estilosa. Ou você vai para uma linha mais ‘clean’ ou para um lado maximalista. Na minha opinião, mais é sempre mais”, acrescenta a artista plástica, aos risos.

Stecca resolveu investir no mercado de máscaras e idealizou uma coleção personalizada de máscaras bordadas à mão com uma amiga, a “Ask the Mask”. 

Ela explica que o tecido especial e de alta costura, faz com que seja o diferencial do produto. “Eu vejo essa dualidade, entre ter uma máscara bastante funcional, tecnológica, industrial, e essa super artesanal.”

Assim como qualquer outro item, a máscara ideal é aquela que atende ao estilo de quem a usa. “Você tem a opção de ficar invisível com uma máscara neutra ou de fazer uma afirmação muito individual”, diz Stecca.

Há três meses confeccionando máscaras, a artesã Fabiana Madeira, 47, diz que tem percebido uma mudança na preferência dos clientes. 

“As mais discretas estão sendo o pedido do momento, mas tem de tudo, depende do cliente”, conta. Ela avalia que o retorno gradual das atividades e do trabalho presencial têm feito com que as pessoas – mesmo aquelas que não são tão ligadas à moda – deem atenção especial à máscara.