Franca poderá ser incluída no projeto de destinos de LGBTQ+ do Estado

  • Joaquim Felix
  • Publicado em 25 de novembro de 2020 às 07:12
  • Modificado em 11 de janeiro de 2021 às 09:28
compartilhar no whatsapp compartilhar no telegram compartilhar no facebook compartilhar no linkedin

A ação marcará os 20 anos da Lei Estadual que pune a discriminação por orientação sexual ou gênero

Em 2021 a Secretaria de Turismo (Setur SP) vai mapear os destinos LGBT friendly do Estado e Franca poderá ser incluída no roteiro. 

Pelo menos é o que se espera os coordenadores do grupo Arco Iris, que tem realizado ações LGBTQD+ no Município e atraído centenas de pessoas de outras cidades.

A ação marcará os 20 anos Lei Estadual nº 10.948, que pune administrativamente a discriminação por orientação sexual ou identidade de gênero. 

Participarão também a Secretaria de Justiça e Cidadania do Estado de São Paulo e a Câmara de Comércio e Turismo LGBT do Brasil — a Setur SP e a Câmara assinaram um protocolo de intenções em 2019.

Promulgada em 2001, a Lei nº 10.948 é um marco do pioneirismo de São Paulo na criação de políticas públicas de enfrentamento da LBGTfobia. 

Em 2009 o Estado criou a Coordenação de Políticas para a Diversidade Sexual (CPDS).

Com o mapeamento, a Secretaria de Turismo irá criar material promocional, como roteiros, folhetos e website, além de fazer a divulgação em eventos nacionais e internacionais. 

Segundo a Organização Mundial de Turismo, o público LBGT faz anualmente 150 milhões de viagens internacionais (10% do total), movimentando US$ 180 bilhões (15% do faturamento do setor).

O Brasil, segundo pesquisa da Out Leadership, associação internacional de empresas que desenvolve iniciativas para o público gay, é o segundo maior mercado para esse segmento, com faturamento de US$ 26,8 bilhões, atrás do líder Estados Unidos, com US$ 63,1 bilhões.