Foguete que vai levar astronautas de volta à Lua está perto do teste final

  • Salvador Netto
  • Publicado em 26 de dezembro de 2020 às 19:33
  • Modificado em 11 de janeiro de 2021 às 12:44
compartilhar no whatsapp compartilhar no telegram compartilhar no facebook compartilhar no linkedin

As operações estão sendo conduzidas na plataforma B-2 do Stennis Space Center da Nasa

Todos os quatro motores anexados núcleo do SLS. Foto: Nasa/Eric Bordelon

Engenheiros da Nasa e da Boeing concluíram com sucesso o carregamento de propelentes criogênicos nos testes do foguete que levará os próximos astronautas à Lua em 2024. 

Os tanques do Space Launch System (SLS) foram carregados com mais de 2,6 milhões de litros de hidrogênio líquido e oxigênio líquido.

Esta foi a sétima etapa de um total de oito do “Green Run”, a série de testes que verificará se o foguete está pronto para as futuras missões Artemis. As operações estão sendo conduzidas na plataforma B-2 do Stennis Space Center da Nasa.

Parte do teste ainda envolvia simular a contagem regressiva com os tanques carregados, levando até 33 segundos antes do acionamento dos motores. A atividade, porém, foi interrompida alguns minutos antes da duração planejada. 

“O núcleo e a bancada de teste B-2 estão em excelentes condições e isso não parece ser um problema com o hardware”, explicou a Nasa, em comunicado.

A equipe da agência espacial ainda está avaliando os dados para localizar a causa exata do desligamento precoce. Após essa revisão, os engenheiros decidirão se tudo está pronto para avançar com o teste final do “Green Run”, quando os quatro motores RS-25 serão acionados simultaneamente, alimentados pelos tanques de combustível na seção central, por mais de oito minutos.

Para a Lua e além
Quando completo o SLS será mais poderoso que o icônico Saturn-V, que levou o homem à Lua durante as missões Apolo na década de 1970. 

Em desenvolvimento há mais de uma década, o SLS é um projeto controverso que já passou por vários atrasos e estouros no orçamento: seu lançamento inicial estava programado para 2017.

Depois do teste final, o núcleo será transportado para o Kennedy Space Center em Cabo Canaveral, na Florida. Lá a parte superior do foguete será montada e sobre ele a cápsula Orion, onde ficarão os astronautas da Missão Artemis.

O foguete fornecerá quase uma tonelada de empuxo para ajudar a lançar o voo não tripulado Artemis I, a primeira de uma série de missões cada vez mais complexas que levarão a primeira mulher à Lua até 2024.  

O SLS é parte fundamental da exploração espacial da Nasa, juntamente com a espaçonave Orion, o sistema de pouso e o Gateway em órbita ao redor da Lua.

Os técnicos da Nasa já estão fabricando, simultaneamente, os estágios centrais do foguete das missões lunares Artemis II e Artemis III. Os componentes consistem em dois enormes tanques de propelente, quatro motores RS-25 e quilômetros de cabeamento para os sistemas aviônicos e computadores de voo.

Todas as principais estruturas do núcleo do Artemis II, a primeira missão com astronautas, foram construídas e estão sendo equipadas com eletrônicos, linhas de alimentação, sistemas de propulsão e outros componentes. A seção do motor – a parte mais complicada – está na montagem.