Formula Chopp

Com o vexame do Palmeiras, representação brasileira na decisão será só na arbitragem

  • F. A. Barbosa
  • Publicado em 11 de fevereiro de 2021 às 05:00
compartilhar no whatsapp compartilhar no telegram compartilhar no facebook compartilhar no linkedin

Edina Alves Batista e Neuza Back vão trabalhar na final da edição 2020 do Mundial de Clubes

Árbitras brasileiras

Edina Alves Batista e Neuza Back foram relacionadas para trabalharem na final da edição 2020 do Mundial de Clubes

Primeiras mulheres a comandarem um jogo masculino profissional em um torneio organizado pela Federação Internacional de Futebol (Fifa), as brasileiras Edina Alves Batista e Neuza Back foram relacionadas para trabalharem na final da edição 2020 do Mundial de Clubes, entre Bayern de Munique (Alemanha) e Tigres (México). A partida começa às 15h (horário de Brasília) desta quinta-feira (11), no estádio Cidade da Educação, em Doha (Catar).

A arbitragem será do uruguaio Esteban Ostojich, com auxílio dos compatriotas Nicolas Taran e Richard Trinidad. Edina foi escalada como quarta árbitra e Neuza será assistente reserva. O colombiano Nicolas Gallo será o árbitro de vídeo (VAR), com apoio do chileno Julio Bascuñan.

No último domingo (7), a vitória do Al Duhail (Catar) sobre o Ulsan Hyundai (Coreia do Sul) por 3 a 1, valendo o quinto lugar do Mundial, teve arbitragem de Edina e Neuza como primeira assistente. A argentina Mariana de Almeida completou o trio de arbitragem 100% feminino, inédito em um jogo profissional masculino da Fifa.


+ Esportes