Formula Chopp

Bienal do Livro começa segunda-feira (07) em edição totalmente virtual

  • Cesar Colleti
  • Publicado em 5 de dezembro de 2020 às 16:15
  • Modificado em 11 de janeiro de 2021 às 10:33
compartilhar no whatsapp compartilhar no telegram compartilhar no facebook compartilhar no linkedin

Para não ficar sem o evento, os organizadores decidiram fazer uma edição especial, totalmente virtual.

Tema do evento este ano é Conectando Pessoas e Livros (Foto: Fernando Frasão - Agência Brasil)

O maior evento literário da América Latina e um dos maiores do mundo, a tradicional Bienal do Livro de São Paulo, será totalmente online este ano. 

Prevista inicialmente para o final de outubro, o evento presencial acabou sendo adiado para 2022 por causa da pandemia do novo coronavírus.

Mas, para não deixar de ocorrer neste ano de 2020, os organizadores do evento decidiram fazer uma edição especial, totalmente virtual.

Com isso, a 1ª Bienal Virtual do Livro de São Paulo será aberta nesta segunda-feira (7) e funcionará até o dia 13 de dezembro por meio do portal www.bienalvirtualsp.org.br, que vai dar acesso gratuito a toda a programação do evento, compra de livros e novidades do mercado editorial.

O evento é realizado pela Câmara Brasileira do Livro (CBL) e, nesta edição, tem como tema Conectando Pessoas e Livros. 

Participam da bienal virtual mais de 100 expositores e 330 autores. A expectativa dos organizadores é receber 1 milhão de pessoas no portal, mais do que o evento presencial costumava atrair. 

Na edição passada, o evento presencial contou com um público de 663 mil pessoas.

Segundo o presidente da CBL, Vitor Tavares, o evento virtual será mais democrático e diverso. “O que está nos deixando muito feliz é que será uma Bienal inclusiva. Qualquer pessoa, de qualquer lugar do mundo, poderá acessá-la”, disse ele.

“É uma experiência nova. Estamos muito ansiosos e esperançosos de que dará tudo certo e que vamos cumprir o papel de um bom editor que é colocar o que há de melhor, em termos de literatura, à disposição do nosso público leitor. Todo mundo poderá ter acesso e acreditamos que vamos acabar tendo muito mais pessoas participando das mesas dos debates, passeando pelas estantes virtuais e adquirindo os seus livros [do que acontecia presencialmente]”, disse Tavares.


+ Literatura