Álcool no volante e traição induzida: casos bizarros que acabaram no tribunal

  • Rosana Ribeiro
  • Publicado em 1 de novembro de 2020 às 22:44
  • Modificado em 11 de janeiro de 2021 às 07:09
compartilhar no whatsapp compartilhar no telegram compartilhar no facebook compartilhar no linkedin

Os processos judiciais mais inusitados e peculiares dos anos recentes envolvem histórias alucinantes

Na busca para se safar da cadeia, algumas pessoas tentam de tudo, inclusive lançar mão das justificativas mais absurdas diante do juiz.

Conheça aqui alguns casos bizarros que foram acabar nos tribunais:

1. Traição induzida pela psicológa​

O conselheiro conjugal de Nova York, Jeffrey Mechanic, foi responsável pela ação judicial movida pelo casal americano Guido Venitucci e Heather Aldridge. 

Segundo o marido, ele foi instruído por sua psicóloga, de forma subjetiva, a trair sua esposa. 

Ao todo, o casal alega ter gasto mais de US$ 150 mil com as sessões, e exigem a quantia de US$ 8 milhões.

2. Dirigiu bêbada e processou a empresa​

Um dos casos mais curiosos e inusitados ocorreu no Canadá. 

Linda Hunt, 52 anos, dirigiu bêbada, após a festa da empresa, e como consequência bateu seu veículo. 

No entanto, o choque do juiz se deu ao saber que Hunt estava processando seu ex-chefe por permiti-la dirigir embriagada. Resultado: ganhou o processo e foi indenizada em US$ 300 mil.

3. Não arranjou emprego e culpou a faculdade​

Recém-formada em Tecnologia da Informação pela Monroe College, em Nova York, Trina Thompson, de 27 anos, não conseguia arrumar emprego. 

Com argumento de que fazia sete meses que estava formada e desempregada, decidiu processar a faculdade em US$ 70 mil. 

No entanto, a instituição alegou que oferece todo apoio aos alunos, mas que Trina não merecia considerações.

4. Traição tem preço​

É comum casais se processarem após o término do relacionamento, mas geralmente os motivos incluem filhos, casas, heranças, etc. 

No entanto, este não foi o caso de Nonkazimulo Dube, no Zimbábue. 

A dona de casa processou o ex-marido após flagrá-lo em sua cama com uma amante. 

No processo, consta que a indenização chega ao equivalente a R$ 350. Nonkazimulo Dube exigiu, ainda, que o ex consertasse a cama ao meio, mas teve o desejo negado.

5. A culpa é da TV​

Que a tecnologia deixa as pessoas mais sedentárias é fato, mas no caso do americano  

Timothy Dumouchel, ele encontrou na TV a cabo o real motivo de seus problemas. 

Após perceber que fumava mais enquanto assistia televisão e que sua mulher passava horas comendo, Timothy decidiu processar a empresa de TV a cabo. 

Ele alegou que a culpa de estarem naquela situação era da operadora que não cancelou sua assinatura, mas, em 2004, o processo foi arquivado.

*Informações Aventuras na História