PROGRAMANDO NOSSO 2018

Postado em:

Ano passado tive a oportunidade de ler o livro de Neil Negrelli sobre PROGRAMAÇÃO NEURO-LINGUÍSTICA e para minha surpresa e satisfação percebi que apliquei estes conceitos em minha profissão a vida toda.

Aliado a leituras como Inteligências Múltiplas de Gardner, Inteligência Emocional de Goleman , Música-Cérebro e êxtase de Robert Jordaine muitos anos antes O poder do Pensamento Positivo de Norman Vincent Peale percebi que foram apenas alguns agentes transformadores do pensamento para acreditar no sonho a ser realizado. Gatilhos.

O que não podemos é parar de buscar. Buscar transformação interior para que tudo possa ser realizado com mais eficiência.

Dentro das FOFOCAS MUSICAIS falamos de música. E transferindo para a música todos estes conceitos, podemos voltar lá nos primeiros artigos desta coluna onde falamos sobre as biografias de músicos eruditos e depois de músicos novos e atuantes, para analisarmos COMO conseguiram transpor obstáculos apesar das dificuldades extremas e preconceitos existentes na profissão de músico.

Gosto sempre de me lembrar de Alice Sommer, aquela sobrevivente do Holocausto que apenas conseguiu ser salva porque tocava piano.E vendo sua entrevista com tamanho otimismo agradecendo por ter passado pelo Holocausto de forma tão leve, vemos que ela usou uma Programação Neuro-Linguística em sua vida. Não aceitou o vitimismo mas agradeceu as oportunidades e continuou a caminhada sempre valorizando a vida , Deus e a música. Vale vera entrevista dela.

Para 2018 ,que possamos ter em mente que o Brasil depende de nós. Não podemos mudar o mundo, muito menos a política, mas podemos mudar a nossa forma de agir perante as dificuldades e transformarmos o nosso mundinho particular realizando o que é possível ser realizado, com fé, pensamento positivo, aproveitando todas as nossas habilidades, respeitando e entendendo as individualidades com suas Inteligências Mùltiplas e Inteligência Emocional.

O sucesso do nosso país depende do nosso sucesso pessoal, particular, do que podemos fazer dentro de nós mesmos, dentro de nossa casa, para nossos familiares e amigos. Eles, fazendo o mesmo, teremos um círculo cada vez maior de pessoas bem sucedidas.

Acredito na música como agente transformador ou como agende paralisador ou ainda como agente de tumulto ou pacificação. Acredito 100% nisso, tanto que no livro O poder oculto da música de David Tame ele cita que o imperador da China , certa vez percebendo conflitos em determinada região, enviou o seu músico particular para verificar o que estava ocorrendo na música da região de conflito e levar música pacificadora.

E você?

Coloca músicas para transformar seu dia? O que escolhe? É massificado ou tem poder de escolha?

“ Música é uma hipnose, ninguém pode se ver livre dela.” Ludwig Van Beethoven.

*Esta coluna é semanal e atualizada aos domingos.