Covid-19: crescem em SP casos e internações entre crianças de até 10 anos

  • Salvador Netto
  • Publicado em 16 de dezembro de 2020 às 19:57
  • Modificado em 11 de janeiro de 2021 às 11:50
compartilhar no whatsapp compartilhar no telegram compartilhar no facebook compartilhar no linkedin

Diagnósticos positivos entre crianças de zero a dez anos têm aumentado em vários municípios paulistas

Hospitais públicos e privados de São Paulo registraram em novembro um aumento de casos e internações por Covid-19 em crianças, em relação a outubro, acendendo um alerta para o impacto da infecção também no público infantil. Nos meses anteriores, não houve variações significantes.

Embora os pequenos de até dez anos representem apenas 1,43% do total de internações e 0,31% das mortes por Covid no país, os especialistas chamam a atenção para o fato de eles não estão tão imunes como muita gente imagina.

Dados da Secretaria Municipal da Saúde de São Paulo mostram que, na faixa etária entre zero e nove anos, foram 18 internações por Srag (Síndrome Respiratória Aguda Grave) causada por Covid em outubro, contra 43 em novembro. Os dados são das redes pública e privada de saúde.

No Sabará Hospital Infantil, por exemplo, as internações infantis por Covid quadruplicaram nesse período, passando de 3 para 12. Os diagnósticos positivos para o Sars-Cov-2 saltaram de 53 para 101, um aumento de 90%. O Samaritano informou que também registrou aumento, mas que, devido à variações constantes dos dados, não informaria os números.

“Os números revelam o que está acontecendo com os adultos. Quando se faz a investigação epidemiológica, a gente vê que as crianças estão se infectando dentro de suas casas, porque os seus pais ou outros contactantes estão adoecendo”, diz o infectologista Francisco Ivanildo Oliveira, gerente médico do Sabará.

Segundo ele, na grande maioria dos casos, as crianças tendem a evoluir bem, adoecem muito menos que os adultos e têm menor necessidade de internação. Mas, se já tiverem problemas de saúde preexistentes (comorbidades), há risco de complicações.

Um levantamento inédito da Vital Strategies mostra que, de março a outubro, 6.303 crianças com até dez anos foram hospitalizadas no Brasil por Srag causada pela Covid-19. Dessas, 510 morreram. Nos Estados Unidos, até setembro de 2020, haviam sido reportadas 103 mortes de crianças por Covid.

A maioria das crianças brasileiras infectadas infectadas (4.752) tinha menos de cinco anos – 2.198 não haviam completado o primeiro ano de vida.

Os diagnósticos positivos de Covid entre crianças de zero a dez anos têm aumentado em vários municípios paulistas, segundo o Info Tracker, projeto da USP e Unesp que monitora a pandemia.

Na Grande São Paulo, Osasco teve alta de 113% (de 15 para 32), Barueri, de 47% (19 para 28), São Caetano do Sul, de 27% (11 para 14). No interior, São José do Rio Preto registrou aumento de 214% (78 para 245), Botucatu de 18 para 32 (78%) e Campinas, de 53 para 63 (18%).

“Como as aulas estão suspensas na maioria das escolas, isso leva à hipótese de que os adultos não só estão disseminando o vírus para as faixas acima de 60 anos mas também para as crianças dentro de suas próprias casas”, diz Wallace Casaca, professor da Unesp e coordenador do Info Tracker.