Casal aposentado faz 1.400 brinquedos para crianças carentes. Veja mais

  • Cesar Colleti
  • Publicado em 30 de dezembro de 2020 às 17:19
  • Modificado em 11 de janeiro de 2021 às 13:05
compartilhar no whatsapp compartilhar no telegram compartilhar no facebook compartilhar no linkedin

Comemorando seu 50º ano de casamento, idosos passaram a data construindo os objetos para doar

Mike, de 72 anos, e Judy Sullivan, de 70, comemoraram o 50º aniversário de seu casamento em sua oficina na Califórnia, nos Estados Unidos, fazendo brinquedos para doar para crianças carentes neste fim de ano. 

O ex-veterinário do exército e sua esposa se inscreveram em um clube de marcenaria em 2013 e, a partir daí, o hobby deles tem sido presentear jovens.

Os brinquedos feitos à mão são produzidos pelo marido, enquanto Judy fica responsável pela decoração e controle de qualidade. Seus 15 netos e quatro bisnetos servem como testadores e público-alvo das criações.

Mike ganhava presentes feitos pelo seu pai quando era criança, e resolveu passar isso para frente. 

“A maioria das coisas que ganhei eram brinquedos feitos à mão. Eram brinquedos maravilhosos, sei o quanto gostei deles e só espero que as crianças que os têm agora ainda gostem”, disse ele à CNN .

Casal passa seus dias construindo brinquedos para jovens com dificuldades financeiras (Foto: Reprodução/Sierra Sullivan)

Com a pandemia do novo coronavírus, o casal se desafiou a fazer o maior número de brinquedos possível durante o ano e entregar para as famílias que estivessem com problemas financeiros. 

Foram mais de 1.400 quebra-cabeças, caminhões, bonecos, cartas com figuras de animais, entre outros presentes.

Os brinquedos foram levados para jardins de infância, organizações de caridade e abrigos. 

Com os custos diretos estimados em cerca de 19 mil dólares no ano, os Sullivans fizeram uma vaquinha virtual para garantir que seriam capazes de manter o fluxo de brinquedos. 

Mike disse que espera comprar uma impressora 3-D para que possa aumentar a produção.

“Estamos ambos com boa saúde e podemos ficar aqui seis a sete dias por semana durante oito a dez horas. É muito divertido, parece que estamos em casa aqui na loja resolvendo as coisas”, finalizou o marido.