PIANO É ATÉ 100 ANOS DE IDADE!!!

É MATEMÁTICA, HISTÓRIA , GEOGRAFIA, SÓ QUE NUNCA MAIS SE ESQUECE. COMO ESTUDAR PIANO?

Postado em:

1.A criança quer ? Sabe que desenvolverá habilidades?

2. Os pais sabem que precisa ter constância, pontualidade, incentivo, dedicação, mas deixar a criança livre também!?

3. Sabem a metodologia que será utilizada? Confiam no profissional? Se não confiam e não querem confiar não insistam! O profissional já tem uma metodologia desenvolvida. Não irá se moldar ao desejo de cada um que entrar e quiser interferir na Didática.

3. Qual a importância do estudo de um instrumento? 

E este pergunta merece considerações longas mas vamos tentar ser breves. 

3.1. O piano desenvolve percepção auditiva- isso não é só para tocar piano ou qualquer instrumento, mas faz a pessoa ouvir com mais atenção, filtrar o que ouve, interpretar ( tanto na vida quanto no instrumento)

3.2. O piano desenvolve coordenação motora- É PRECISO TREINAR, quem não treina não consegue desenvolver a coordenação. Exercitar os dedos, músculos, tendões, faz parte do desenvolvimento. Melhora a caligrafia inclusive.

3.3. O estudo de piano promove o auto-conhecimento porque através da maneira como se lida com o instrumento e o aprendizado, a pessoa se depara consigo mesma. É um espelho.  Muitas vezes o que ela não conseguiu descobrir sobre si mesma a vida inteira, vai descobrir estudando o instrumento porque exige uma série de atributos  de observação.

3.4. O estudo do piano desenvolve a melhor observação, prestar atenção aos detalhes, aos mínimos detalhes de uma partitura, para que ela seja tocada como foi pedido pelo autor. Devido a isso quem estuda vai se tornando mais observador (a)  e detalhista em seu trabalho, nas atividades que desenvolve, na decoração de um ambiente, etc.

3.5.  O estudo do piano promove o enfrentamento à inibição ou timidez. É uma forma da pessoa se expressar sem precisar usar a palavra, ao mesmo tempo estará treinando o ‘ falar ‘ de uma outra forma: a sua expressão.

3.6. O estudo do piano promove a reflexão sobre uma partitura ou com o conhecimento sobre os autores, suas biografias, formas de pensar, sentir e transmitir a música. Com tais reflexões, a introspecção vem de forma natural e existe um mergulho nas observações do todo tanto dos seres humanos como de si mesmo.

3.7. O estudo do piano promove a realização pessoal quando uma pessoa percebe que ela pode tocar um instrumento, ela pode aprender aquelas ‘ bolinhas pretas ‘ , ela pode se expressar, enfim descortina-se um novo horizonte de possibilidades e esta realização causa uma ‘ cura ‘ alguns males que a pessoa vinha trazendo por não acreditar em si mesmo(a).

3.8. O estudo do piano faz desenvolver o raciocínio lógico-matemático pois com a leitura de partituras percebe-se muitos conceitos das disciplinas exatas e com isso o cérebro passa a raciocinar mais rapidamente ; são feitas sinapses.

3.9. O estudo do piano relaxa e promove um descarregamento de tensões quando se senta para estudar- isso é promovido com metodologias específicas. São necessários 20 minutos de estudo específico para ‘ eliminação de tensões’. Após isso, a ansiedade diminui.

3.10. O estudo do piano funciona como ativador das emoções. Quando alguém está estudando piano e se entrega aos sons, suas emoções vão sendo organizadas de tal forma sutil e oculta, que quando cessa o estudo, outra pessoa está ali mais tranquila e ciente de seu potencial.

3.11.  O estudo do piano promove a  ABSTRAÇÃO, quesito tão necessário para se compreender Física por exemplo e tantos outros setores da vida, onde se tenha que compreender o incompreensível. A abstração é trabalhada de várias formas.

3.12. O estudo de piano causa preenchimento. Quando a pessoa está se sentindo ‘ vazia’ , sem perspectivas, desmotivada, o estudo deste instrumento especificamente e também  se for afinado em 432 Hz lhe trará bem estar e saúde emocional.

Continuaria elencando as transformações que ocorrem, a olhos vistos em alunos das mais variadas idades.

Mas o intuito aqui é apenas UMA DÚZIA de alertas. Pense sobre isso!

*Esta coluna é semanal e atualizada aos domingos.


Artigos Relacionados