Obesidade pode prejudicar eficácia da vacina contra covid-19, aponta estudo

Vacinas contra a gripe, hepatite B, tétano e raiva podem ser menos eficazes neste público que em geral

Postado em: em Ciência

Cientistas dos Estados Unidos estão preocupados com a eficácia da vacina contra a covid-19 em pessoas obesas. 

Isso porque já se sabe que imunizantes contra a gripe, hepatite B, tétano e raiva podem ser menos eficazes neste público do que na população em geral.

Em entrevista à CNN norte-americana, Raz Shaikh, professor associado de nutrição da Universidade da Carolina do Norte-Chapel Hill, disse que a previsão é que a potencial vacina aprovada contra a covid-19 não funcione em obesos.  

“Teremos uma vacina de covid no próximo ano adaptada para obesos? De jeito nenhum”, disse.

A constatação preocupa particularmente os Estados Unidos, que tem uma população com mais de 107 milhões de adultos obesos.

Obesidade e reposta imune​

A ciência está cada vez mais ciente do papel da obesidade como importante fator de risco para várias doenças, como câncer e a própria covid-19. 

Acontece que a gordura em excesso interfere na resposta imune do corpo, deixando-o mais vulnerável à gravidade de quadros infecciosos.

De acordo com reportagem da CNN, a primeira vez que cientistas observaram essa relação entre obesidade e vacina foi em 1985. 

Na ocasião, funcionários obesos de um hospital receberam a vacina contra hepatite B e mostraram um declínio significativo na proteção de anticorpos produzidos 11 meses depois. 

O mesmo não foi observado em funcionários não obesos. Comportamentos semelhantes foram também vistos com as vacinas contra a hepatite A, contra o tétano e raiva.


Artigos Relacionados