Ituverava tem pior avaliação do ensino fundamental no estado de São Paulo

Abaixo da meta, município recebeu nota de 4,9 para aprendizagem nos anos iniciais e 3,8 para anos finais

Postado em: em Cidades

Ituverava é a cidade do estado de São Paulo que obteve a pior avaliação do ensino fundamental no Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) de 2019, de acordo com dados divulgados este mês pelo Ministério da Educação.

Em uma escala de 0 a 10 que avalia a aprendizagem de estudantes em português e matemática, o município de 42 mil habitantes da região de Ribeirão Preto fechou com nota de 4,9 para os anos iniciais (1º ao 5º) e 3,8 para os finais (5º ao 9º).

A Prefeitura informou que o resultado está associado ao novo regimento de reprovações criado pelo município em 2018 que priorizou uma aprendizagem adequada dos alunos. 

Ressaltou, por outro lado, que as notas não refletem o desempenho de todas as escolas, algumas delas com melhora nos resultados.

Também destacou que, apesar de abaixo da meta, o desempenho para anos finais do fundamental melhorou em relação a 2017.

"A Secretaria Municipal da Educação realiza diversos investimentos para melhorar a qualidade do ensino oferecido no município, adotando sistemas de ensino que são referências no estado; realizando capacitações com professores e funcionários; e elaborando estratégias para melhorar a aprendizagem dos alunos", comunicou.

A Secretaria de Estado da Educação reforçou que nenhuma escola da rede estadual em Ituverava foi avaliada no levantamento sobre o ensino fundamental.

O Ideb é o principal índice de educação do país e é divulgado a cada dois anos com base no desempenho dos alunos em português e matemática na prova do Sistema de Avaliação da Educação Básica (Saeb), além dos índices de aprovação escolar.

Em 2019, sete escolas da rede municipal de Ituverava atenderam aos requisitos para avaliação dos anos iniciais do fundamental e levaram ao índice mais baixo entre 636 municípios com notas no Ideb, segundo o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep).

A nota de 4,9 da cidade, que chegou a atingir 5,9 em 2015, ficou abaixo da meta de 6,3, está em queda desde 2017 e é a pior desde 2009

Ainda que melhor do que 2017 (confira no gráfico acima), para os anos finais do fundamental (5º ao 9º ano), o município fechou com média ainda mais baixa, de 3,8, abaixo da meta de 5,2 e do desempenho em anos como 2015, com 4,6.

O resultado é baseado no desempenho de alunos de duas escolas que atenderam os requisitos para participação no índice. Com isso, a cidade dividiu a última posição do estado com Rincão (SP).

Ensino médio​

Na avaliação do ensino médio, a pior cidade da região de Ribeirão Preto foi Restinga. Entre os oito piores avaliações do estado, o município de 6,5 mil habitantes teve nota 3,5, quando a projeção era de 4,1.

O resultado também fica abaixo do obtido em 2017, de 3,9. Na cidade, a única unidade avaliada foi a Escola Isaac Vilela de Andrade, da rede estadual.

Secretário executivo da Educação no estado, Haroldo Corrêa Rocha afirma que o resultado é motivo de preocupação, mas não reflete a realidade de toda a rede no ensino médio, que melhorou seus índices em relação a 2017.

"Já pedimos à Diretoria Regional de Ensino que verifique com a equipe gestora, com os professores, o que aconteceu". 

"Pode ter sido uma baixa frequência dos alunos no dia da prova, pode ter acontecido algum evento específico envolvendo a prova como pode ter sido também um ano de dificuldades que a escola teve do ponto de vista do trabalho pedagógico que fez com que os meninos não tivessem um desempenho melhor", diz.

*Informações G1


Artigos Relacionados