Formula Chopp

Universidade de Washington prevê 100 mil mortes por Covid-19 no Brasil em abril

  • Rosana Ribeiro
  • Publicado em 4 de abril de 2021 às 19:30
compartilhar no whatsapp compartilhar no telegram compartilhar no facebook compartilhar no linkedin

Estudo projeta que até 4 de maio o país salte das quase 331 mortes para mais de 436 mil. Veja os três possíveis cenários do futuro da pandemia no país

Brasil pode ultrapassar 430 mil mortos por covid até o início de maio

 

O Instituto de Métricas e Avaliação em Saúde, da Universidade de Washington, nos Estados Unidos, prevê 100 mil mortes por Covid-19 no Brasil ao longo do mês de abril.

Segundo uma pesquisa da instituição, que considera fatores como a disseminação de variantes do vírus, uso de máscaras e respeito ao distanciamento social, o número de mortos pode saltar dos atuais 330.297 óbitos, registrados no último sábado (3), para 436 mil em 4 de maio.

A universidade projeta três cenários para o país, e os números são referentes ao pior deles. (Veja abaixo as considerações da universidade para cada cenário)

Esse total pode cair para 429 mil mortes caso 95% da população use máscara em público.

A universidade projeta ainda que até o final do primeiro semestre o Brasil atinja a marca de 595 mil mortes no pior cenário.

No caso da adoção de máscaras em público por 95% da população, esse número pode cair para 507 mil.

VEJA OS TRÊS CENÁRIOS POSSÍVEIS

1- Cenário atual

Total de mortos na pandemia até os próximos 30 dias: 434.702
Total de mortos na pandemia até o final do 1º semestre: 561.634

Neste cenário, a universidade considera:

– Mobilidade dos não vacinados seguindo o padrão apresentado no último ano;
– 25% dos vacinados voltando a se deslocar como faziam antes da pandemia;
– Variantes britânica, sul-africana e brasileira se espalhando entre regiões vizinhas no ritmo já registrado no Reino Unido;
– Casos diminuindo entre os que se vacinaram há 90 dias.

2- Pior cenário

Total de mortos na pandemia até os próximos 30 dias: 436.151
Total de mortos na pandemia até o final do 1º semestre: 595.521

Neste cenário, a universidade considera:

– Deslocamento de quem ainda não foi vacinado se mantendo como no último ano;
– Todos os vacinados voltando a se deslocar nos níveis pré-pandêmicos;
– Variantes brasileira e sul-africana começando a se espalhar em locais aonde ainda não haviam chegado;
– Eficiência da vacinação sendo inferior diante da variante sul-africana;
– Uso de máscaras caindo entre os vacinados.

3 – Cenário com uso de máscaras em público por 95% da população

Total de mortos na pandemia até os próximos 30 dias: 429.634
Total de mortos na pandemia até o final do 1º semestre: 507.113

– Mobilidade dos não vacinados seguindo o padrão apresentado no último ano;
– 25% dos vacinados voltando a se deslocar como faziam antes da pandemia;
– Variantes britânica, sul-africana e brasileira se espalhando entre regiões vizinhas no ritmo já registrado no Reino Unido;
– Uso correto da máscara sendo adotado por 95% da população.

*Informações G1


+ Cotidiano