Reinfecção: 4 doenças que elevam risco de adoecer novamente com Covid; saiba

  • Salvador Netto
  • Publicado em 10 de fevereiro de 2021 às 23:30
  • Modificado em 11 de fevereiro de 2021 às 09:44
compartilhar no whatsapp compartilhar no telegram compartilhar no facebook compartilhar no linkedin

Neste momento, não há provas clínicas ou estudos suficientes que indiquem com precisão durante quanto tempo uma pessoa tem imunidade natural contra o coronavírus

A doença da Covid-19, resultante da infecção pelo novo coronavírus SARS-CoV-2, está diretamente ligada ao quão boa ou má é a imunidade dos indivíduos.

Enquanto um surto ligeiro a moderado da infecção, além da vacinação, fornece proteção suficiente contra a doença mortal, casos de reinfeção são cada vez mais comuns em todo o mundo.

Assustadoramente, já foram registrados casos de pessoas reinfectadas com o novo coronavírus menos de 50 dias após terem adoecido pela primeira vez, informa um artigo publicado no jornal Times of India.

Neste momento, não há provas clínicas ou estudos suficientes que indiquem com precisão durante quanto tempo uma pessoa tem imunidade natural contra o coronavírus. Mas, a reinfecção é uma possibilidade que devemos ter em conta.

Enquanto quem já se recuperou da Covid-19 não deve ter uma atitude complacente em relação à doença e à possibilidade real de reinfecção, os médicos creem que existem igualmente condições pré-existentes que tornam certos indivíduos mais suscetíveis a sofrerem novamente da doença ou de complicações futuras após a aparente recuperação inicial.

A principal causa para esta vulnerabilidade remete para uma imunidade frágil e funcionamento vital deteriorado. Um estudo realizado pela publicação médica British Medical Journal (BMJ) apurou que as pessoas com comorbidades têm um maior risco de reinfecção por Covid-19, seja esta mais ligeira ou grave.

Por conseguinte, pessoas com estas condições e risco de doença devem ser mais cuidadosas de modo a evitarem contraírCovid-19 mais do que uma vez:

Diabetes

A diabetes de tipo 1 e 2 são uma das principais patologias que podem agravar o risco de nova infecção pelo coronavírusSARS-CoV-2. Desde uma maior propensão para sofrerem de infeções cutâneas, a uma imunidade extremamente debilitada e uma suscetibilidade significativamente mais elevada de padecerem de outras doenças, pacientes com diabetes têm uma probabilidade invulgarmente maior de adoecerem com Covid-19 – sendo que o período de recuperação pode prolongar-se até seis meses.

Problemas na tiroide

Muitos dos medicamentos utilizados no tratamento de problemas da tiroide podem suprimir o ótimo funcionamento do sistema imunológico, tornando a pessoa mais vulnerável a contrair doenças frequentemente. Os hormônios disfuncionais também diminuem a capacidade do corpo para combater infeções e outros patógenos. Como tal, pessoas com problemas hormonais subjacentes e problemas da tiroide tem que ter cuidado extra no que trata à infecção e reinfecção por Covid-19.

Obesidade

Níveis elevados de obesidade baixam as defesas naturais do corpo, aumentando a vulnerabilidade da pessoa à Covid-19. Indivíduos obesos estão ainda mais predispostos a adoecerem gravemente e a morrerem como consequência da doença pandêmica.

Doenças respiratórias crônicas

O coronavírus é um patógeno que causa inúmeros danos no sistema respiratório. Desde dificuldades respiratórias, ao aumento do risco de infecção respiratória e estados imunológicos comprometidos, a recuperação após um ataque inicial de Covid-19 pode prejudicar gravemente o sistema respiratório. Assim, há um risco aumentado de reinfecção da Covid-19e da ocorrência de complicações em pessoas com distúrbios respiratórios pré-existentes.


+ Saúde