Sabe quando dá aquela dorzinha chata no ouvido? Tratar em casa pode piorar situação

  • Roberto Pascoal
  • Publicado em 23 de fevereiro de 2024 às 16:00
compartilhar no whatsapp compartilhar no telegram compartilhar no facebook compartilhar no linkedin

Ao desconfiar de uma otite, ainda que seu filho não reclame de dor nesse local, consulte sempre o seu pediatra

Muitos pais acreditam que basta apertar a região do tragus (aquela bolinha na área externa do ouvido) para diagnosticar uma otite.

Mas a coisa não é bem assim. Esse incômodo que muitas vezes afeta crianças tem que ser apurado a fundo.

“Quando a criança tem uma otite média aguda, se você comprimi-lo nem sempre vai doer”, afirma o pediatra Thiago Caldi.

Isso porque nem toda otite média causa dor na região mais próxima à entrada da orelha. Na otite externa, caracterizada por uma inflamação na região do conduto, esse tipo de diagnóstico é mais comum.  Mesmo assim, o fato de a criança não sentir dor com esse tipo de “exame” não descarta a possibilidade de otite.

Ao desconfiar de uma otite, ainda que seu filho não reclame de dor nesse local, consulte sempre o seu pediatra.

Otite​

A otite média aguda é uma das infecções mais comuns em crianças e a razão mais frequente da prescrição de antibióticos para elas.

Mais de 80% delas terão esse problema ao menos uma vez nos primeiros anos de vida. Por isso, é importante saber como prevenir a otite em crianças, infecção que pode trazer sérias complicações.

Crianças comumente apresentam infecções de vias aéreas superiores, sendo as mais frequentes amigdalites, sinusites e otites. As otites médias são o tipo mais comum, principalmente em pacientes até os 6 anos de idade.

Um dos motivos é o fato de elas possuírem a tuba auditiva, canal que liga a orelha média ao nariz, em posição mais horizontal, favorecendo as infecções. Essa otite infantil traz sintomas como:

Dores de ouvido intensas;

Sinais de desequilíbrio;

Náuseas e vômitos;

Drenagem de secreção no ouvido;

Febre.

 

Fatores

Vários fatores estão associados ao aumento da frequência de otite em crianças, mas estudos têm demonstrado que a entrada precoce delas em creches e escolas é um dos principais motivos para o aumento da incidência da otite infantil.