Formula Chopp

Morre por Covid, aos 52 anos, Marcão, presidente da Câmara de Patrocínio Paulista

  • Cláudia Canelli
  • Publicado em 9 de junho de 2021 às 08:51
  • Modificado em 9 de junho de 2021 às 08:51
compartilhar no whatsapp compartilhar no telegram compartilhar no facebook compartilhar no linkedin

Vereador, muito conhecido no meio político de Franca, estava em seu terceiro mandato na cidade e deixa esposa e filhas

Marcos Roberto Fernandes, o Marcão da MR, morre aos 52 anos, em decorrência do covid.

A assessoria da Câmara Municipal de Patrocínio Paulista comunicou, nesta manhã, o falecimento do vereador e presidente do Legislativo, Marcos Roberto Fernandes, o Marcão da MR, aos 52 anos, em decorrência do covid.

O vereador, que estava em seu terceiro mandato, estava internado na Santa Casa de Patrocínio e havia sido transferido para Ipuã nesta segunda-feira para tratamento intensivo.

“Neste momento de dor, vereadores e funcionários do Legislativo se solidarizam com seus familiares e expressam as mais sinceras condolências pela perda de quem tanto contribuiu com a história do nosso município”, diz a nota da assessoria.

Marcão, que se reelegeu no ano passado com 214 votos, era muito conhecido também em Franca, prestando serviço, através de sua empresa de panfletagem, a MR, para políticos da cidade, durante campanhas eleitorais. Era filiado ao PL.

Com o ocorrido, o primeiro suplente do partido, Adriano do Edão, assumirá a cadeira como vereador em Patrocínio Paulista. Ele obteve 158 votos na eleição passada.

Por outro lado, quem assume a Presidência da Câmara é o atual vice, vereador Lucas Vicente Alves, do PSP

Ironia

Marcão vinha adotando cuidados e tinha receio da covid. Tanto que, no último dia 25 de maio, determinou uma ampla sanitização do Legislativo patrocinense.

Além disso, a Câmara já vinha adotando várias medidas de prevenção à COVID-19, como a implantação de biombos de acrílico nas mesas dos vereadores e mesa diretora, dispensers com álcool em gel pelas suas dependências e limitação de público no auditório.

Ele próprio demonstrou, na ocasião, temer a doença. “Com a alta de casos na cidade e região, é preciso redobrar os cuidados”, disse o então presidente da Câmara, que deixa mulher e filhas.