Formula Chopp

Lurdinha defende servidores na Câmara: “Me vejo no dever de zelar pela vida deles”

  • F. A. Barbosa
  • Publicado em 4 de maio de 2021 às 19:00
compartilhar no whatsapp compartilhar no telegram compartilhar no facebook compartilhar no linkedin

Vereadora destaca a importância de cuidar da saúde dos funcionários e evitar possibilidades de transmissão do coronavirus aos servidores

Vereadora destaca a importância de cuidar da saúde dos funcionários e evitar possibilidades de transmissão do coronavirus aos servidores

A veredora Lurdinha Granzotte usou a tribuna da Câmara Municipal, nesta terça-feira, para defender mais proteção aos servidores públicos de Franca.

Lurdinha, que é servidora há mais de 37 anos, disse que é representante natural da categoria e que seguirá cobrando condições mais seguras de trabalho para os seus colegas.

“Eu me vejo no dever de zelar pela vida dos servidores e equipe na linha de frente contra Covid-19. Precisamos entender e averiguar o que vem acontecendo com os servidores e funcionários da área da saúde, dentro de inúmeras hipóteses, muitos estão adoecendo. Seja pela Covid ou doenças psicológicas”, afirmou Lurdinha.

A vereadora reconhece que a administração tem buscado caminhos, tanto para o combate da pandemia, como na proteção do funcionalismo, mas que é preciso ir ainda mais além.

“Agradeço nosso prefeito e compreendo que muitas coisas estão sendo feitas para zelar por essas vidas, mas precisamos redobrar a atenção aos equipamentos, vacinas, e tudo que envolve a segurança dos mesmos. Eles precisam de mais suporte psicológico e estrutura”, explicou Lurdinha Granzotte.

A vereadora apontou ainda para uma situação pontual que precisa de atenção, que é a utilização dos espaços comuns, como refeitórios das repartições públicas.

“Peço também encarecidamente ao secretário da Saúde, Lucas Eduardo de Souza, que, devido a uma reclamação de uma única funcionária, reveja a questão de pequenas aglomerações no refeitório durante as refeições, pois muitos funcionários têm contato direto com a doença e quando vão para os refeitórios acabam tendo contato direto com outros funcionários que talvez não ficaram expostos à doença ainda”.

Lurdinha explicou que o momento das refeições exige todo o cuidado, pois as pessoas dividem a mesma área para se alimentar.

“É um momento delicado em que as pessoas precisam ficar sem máscara para comer. Precisamos manter mais ainda o distanciamento, tentar pensar numa solução para que o contato físico seja bem menor durante este pequeno período. E entender a importância de cada vez termos mais cautela”, finalizou a vereadora.


+ Política