​Justiça proíbe Gilson de Souza de usar Agenor Gado em sua campanha

  • Cesar Colleti
  • Publicado em 5 de novembro de 2020 às 14:39
  • Modificado em 11 de janeiro de 2021 às 07:29
compartilhar no whatsapp compartilhar no telegram compartilhar no facebook compartilhar no linkedin

“A propaganda é tendenciosa e causa confusão no eleitor”, diz a juíza na sua sentença que decidiu o caso

A Justiça Eleitoral considerou tendenciosa a propaganda política de Gilson de Souza, candidato a reeleição, em que ele faz uso indevido da imagem de Agenor Gado, candidato a vice-prefeito de Adérmis Marini, na coligação “Franca é a Nossa Bandeira”. 

Durante propaganda eleitoral transmitida no horário político do candidato Gilson de Souza, são exibidas imagens em que Agenor Gado, como presidente da APAE, faz um agradecimento institucional à Prefeitura. 

Ao entrar na Justiça, a campanha de Adermis Marini afirmou que “Gilson faz uso das imagens para se promover, uma vez que Agenor é indiscutivelmente o melhor vice prefeito para Franca”.

Segundo a petição, Gilson buscou induzir o eleitor a erro, dando a entender que Agenor seria seu apoiador, chegando ao absurdo de deixar ilustrado em legendas o número de seu partido, tentando ligar Agenor à sua campanha. 

A juíza eleitoral Márcia Christina Teixeira Branco Mendonça proibiu Gilson de Souza de continuar exibindo tal propaganda tendenciosa, assim como determinou que o candidato publique em seu próximo programa na televisão trecho da decisão. 

Agenor Gado é candidato a vice-prefeito de Adérmis Marini, cujo número é 45.