Formula Chopp

Estado de São Paulo pode ter misto de restrições da fase emergencial e vermelha

  • Rosana Ribeiro
  • Publicado em 7 de abril de 2021 às 18:00
compartilhar no whatsapp compartilhar no telegram compartilhar no facebook compartilhar no linkedin

Coordenador-executivo do Centro de Contingência contra a Covid-19 diz que estado avalia na quinta-feira (8) mudanças no Plano São Paulo

Paulo Gabbardo, coordenador-executivo do Centro de Contingência contra a Covid-19 de SP

 

Coordenador-executivo do Centro de Contingência contra a Covid-19 de São Paulo, João Gabbardo afirmou à CNN que as restrições para o estado serão revistas na quinta-feira (8).

Segundo ele, há a possibilidade do governo paulista regredir à fase vermelha no Plano São Paulo, mas com medidas adicionais semelhantes à fase emergencial – a mais restritiva e que vigora até 11 de abril.

“O Centro de Contingência vai analisar na quinta-feira os dados dessa semana para poder dar as recomendações para o governo do estado”, disse Gabbardo, complementando que há quatro opções de sugestões.

“A primeira possibilidade é mantermos a fase emergencial; a segunda, é suspender a fase emergencial e ficar na fase vermelha, como era antes; a terceira, é que fiquemos na fase vermelha com algumas medidas adicionais”.

“E uma quarta opção, pouco provável, seria o estado ou alguma região passar da fase vermelha para a laranja”, detalhou.

Assim como o Brasil, São Paulo também registra recordes diários de óbitos na pandemia: na quarta-feira (6), foram registradas 1.389 mortes por Covid-19 no estado.

Gabbardo explicou que os números refletem a alta taxa de ocupação das UTIs.

“Sempre que temos expansão no número de pacientes internados, vamos ter logo adiante um número maior de óbitos”, disse.

“Mas estamos agora presenciando um movimento um pouco inverso. Com as medidas de distanciamento que foram implementadas, já temos redução no número de novos casos e conseguimos reduzir a velocidade de novas internações em enfermarias e UTIs. Isso vai levar nas próximas semanas à redução do número de óbitos.”


+ Cotidiano