Formula Chopp

Covid: pesquisadores parecem ter descoberto o que faz a cepa B.1.1.7 tão contagiante

  • Joao Batista Freitas
  • Publicado em 16 de junho de 2021 às 08:00
compartilhar no whatsapp compartilhar no telegram compartilhar no facebook compartilhar no linkedin

A variante B.1.1.7 foi detectada inicialmente no Reino Unido e se espalhou pela Europa e depois pelo mundo inteiro rapidamente

Uma descoberta dos cientistas da University College London (UCL) pode ajudar a entender o comportamento da variante B.1.1.7 do coronavírus, agora chamada de Alpha, que foi identificada inicialmente no Reino Unido e é disseminada de maneira muito mais rápida e descontrolada.

A pesquisa publicada na bioRxiv sugere que além da proteína spike – presente no vírus e associada à facilidade no contágio — outras mutações podem tornar a cepa Alpha tão infecciosa.

Para o experimento, os pesquisadores examinaram como as células das vias respiratórias produzem uma proteína do sistema imunológico chamada interferon, que identifica os agentes causadores de doenças.

Nas células que foram infectadas com a B.1.1.7, a produção interferon é muito inferior em comparação a outras variantes da Covid-19 que circularam anteriormente.

Isso também corrobora com o fato da variante ficar por mais tempo no corpo da pessoa.

Em janeiro deste ano, o governo inglês disse que a variante pode ser de 30-40% mais letal e até mesmo 70% mais transmissível do que as que estavam registradas até o momento.

Apesar disso, a Organização Mundial da Saúde (OMS) assegura que as vacinas disponíveis são eficazes contra todas as variantes conhecidas até o momento.


+ Ciência