Formula Chopp

Cafeicultores em alerta para uma nova variante de ferrugem encontrada na Colômbia

  • Marcia Souza
  • Publicado em 1 de maio de 2021 às 15:30
compartilhar no whatsapp compartilhar no telegram compartilhar no facebook compartilhar no linkedin

A ferrugem é a principal doença do café no mundo e comum a todos os países produtores), com perdas entre 30% e 80% se não combatido adequadamente

 

A ferrugem é a principal doença do café no mundo e comum a todos os países produtores), com perdas entre 30% e 80% se não combatido adequadamente

A Federação Nacional dos Cafeicultores (FNC), por meio do Centro Nacional de Pesquisas do Café (Cenicafé), alertou na quinta-feira (29) sobre a presença na Colômbia de novas variantes de fungos mais agressivos que causam a ferrugem do café.

Estudando a doença em variedades comerciais suscetíveis e resistentes, e materiais de café de interesse em diferentes regiões, o Cenicafé confirmou recentemente a presença de quatro tipos de ferrugem já conhecidas e identificou seis novas não caracterizadas anteriormente no país.

Isso além de nove variantes do fungo de maior complexidade genética e com diferentes graus de virulência e agressividade.

Desde 1983, ano em que foi detectada a ferrugem na Colômbia, o Cenicafé vem identificando cada vez as variantes do fungo, a começar pelo II, do Brasil.

Alguns apresentam características diferentes de outros países produtores, evidenciando a particularidade das alterações do fungo na cafeicultura colombiana.

Por isso, as instituições cafeeiras mais uma vez orientam os produtores a usar variedades resistentes como primeira linha de defesa contra a ferrugem.

“Convido os cafeicultores a estabelecer ou renovar suas lavouras com variedades resistentes como Castillo®, Cenicafé 1, Castillo zonales e Tabi, com material obtido de sementes certificadas, seja em depósitos de café, cooperativas ou por meio do Serviço de Extensão FNC”, disse o Gerente Geral, Roberto Vélez Vallejo.

A ferrugem é a principal doença do café no mundo (comum a todos os países produtores), com perdas entre 30% e 80% nas variedades suscetíveis quando o manejo adequado e oportuno não é realizado.

O diretor do Centro Nacional de Pesquisas do Café (Cenicafé, braço científico da FNC), Álvaro Gaitán explicou que na Colômbia todas as condições são favoráveis ​​para epidemias de ferrugem ao longo do ano em todas as regiões cafeeiras e altitudes do país, devido à sua localização geográfica, clima, microclimas, topografia, diversidade de sistemas de produção e padrões muito variados de floração e colheita.


+ Agronegócios