Vigilância Sanitária de Franca autua Caixa Federal por aglomerações de clientes

  • Dayse Cruz
  • Publicado em 27 de janeiro de 2021 às 09:00
compartilhar no whatsapp compartilhar no telegram compartilhar no facebook compartilhar no linkedin

Agência não cumpria com os protocolos sanitários indispensáveis para a segurança de clientes e funcionários

Caixa Econômica no centro de Franca foi autuada pela Vigilância Sanitária

Caixa Econômica no centro de Franca foi autuada pela Vigilância Sanitária

 

A Vigilância Sanitária de Franca continua com suas equipes atuando 24h, para o cumprimento das normas de proteção contra a disseminação da Covid-19 contidas no Plano São Paulo e reforçadas pela Prefeitura.

O intuito é reduzir a taxa de transmissão do vírus e o número de casos positivos na cidade.

Na última terça-feira, agentes de fiscalização estiveram focados nas dezenas de reclamações registradas pelo canal Covizap (99917-2802), lançado pelo prefeito Alexandre Ferreira na semana passada, com o objetivo de dar maior agilidade aos atendimentos.

E dentre as muitas denúncias recebidas, uma delas foi constatada por um dos agentes de fiscalização, que esteve na agência central da Caixa Econômica Federal.

Foi registrada uma fila grande e sem obediência às regras de protocolo sanitário, medida que é papel da instituição, de modo a garantir o distanciamento físico.

Segundo a Vigilância, o banco tem a recomendação de cumprir o protocolo sanitário para garantir a saúde de seus funcionários e clientes, que estão em busca de algum serviço.

Face à constatação, foi lavrada uma autuação e os responsáveis terão a partir dessa data, 10 dias para apresentar recurso que será avaliado.

A punição para desobediência nessa natureza pode valer uma multa que varia de R$ 10 mil a R$ 290 mil, conforme recente Decreto Municipal.

Ainda de acordo com a Vigilância Sanitária, estão sendo fiscalizados outros bancos e casas lotéricas, cujas reclamações têm sido constantes e o funcionamento dos estabelecimentos de serviços considerados não essenciais.

A preocupação é não permitir qualquer tipo de aglomerações, onde as pessoas responsáveis pelos estabelecimentos estão sendo orientadas sobre suas obrigações, ficando sujeitas às punições previstas.

Aliado à esses cuidados em cada local, deve ser oferecido álcool em gel para higienização das mãos e as pessoas utilizarem máscara, obrigatoriamente.

Denúncias

Além do canal do Covizap (99917-2802- que recebe mensagens via aplicativo de whatsapp), a Prefeitura disponibiliza para o trabalho de fiscalizações durante o expediente comercial o telefone 3711-9415 ou então na Guarda Civil, 24 h, no número 153.

Todas as denúncias recebidas passam por uma triagem e são encaminhadas para a fiscalização.


+ Cotidiano