Formula Chopp

Quadrilha que aplicou golpe de R$ 1 milhão em Franca é identificada pela Polícia

  • Rosana Ribeiro
  • Publicado em 15 de abril de 2021 às 14:15
compartilhar no whatsapp compartilhar no telegram compartilhar no facebook compartilhar no linkedin

Segundo delegado Márcio Murari, suspeitos mantinham empresa de fachada na cidade para compra de bebidas que não eram pagas. Cinco pessoas foram presas

Quadrilha aplicou golpe em 20 empresas de Franca

 

Uma quadrilha que aplicou golpes que somam R$ 1 milhão foi desmantelada na manhã desta quinta-feira (15) em uma operação da Delegacia de Investigações Gerais (DIG) de Franca. Cinco pessoas suspeitas foram detidas.

Segundo o delegado Márcio Murari, mandados de busca e apreensão foram cumpridos em Franca, Santa Bárbara do Oeste (SP), Sorocaba (SP), Sumaré (SP) e Votorantim (SP).

Murari explicou que a quadrilha montou uma empresa de fachada em Franca para a compra de bebidas.

Após cumprir os pagamentos iniciais e conquistar a confiança de outros comerciantes, o grupo aumentou o volume e passou a aplicar o golpe. Eles recebiam os produtos, mas não pagavam.

Márcio Murari, delegada da Polícia Civil de Franca

 

“Na hora de efetivar os pagamentos, em alguns casos eles faziam falsos depósitos, em outros simplesmente não pagavam”, afirma Murari. Cerca de 20 estabelecimentos foram vítimas da quadrilha.

A Polícia Civil esteve nesta quinta-feira em um depósito na zona Sul de Franca, utilizado como endereço da empresa, mas o local estava abandonado. Parte das mercadorias compradas e que estavam no pátio foi apreendida.

Em endereços identificados pela Polícia Civil em Santa Bárbara do Oeste, Sorocaba, Sumaré e Votorantim, foram encontrados mais produtos que estavam sendo comercializados.

Cinco pessoas foram detidas em Votorantim e Sorocaba, entre elas o principal receptador da quadrilha.

De acordo com Murari, os suspeitos vão responder por associação criminosa, estelionato e receptação.

Os produtos apreendidos serão devolvidos às empresas que foram vítimas.

Ainda segundo o delegado, a quadrilha teria agido em Uberaba (MG) e a Polícia Civil de Franca já fez contato com a polícia mineira para colaborar com a investigação.

*Informações G1


+ Justiça