Ponte de Rifaina sobre a represa de Jaguara já está sendo reformada

  • Cesar Colleti
  • Publicado em 28 de outubro de 2019 às 19:18
  • Modificado em 8 de outubro de 2020 às 19:58
compartilhar no whatsapp compartilhar no telegram compartilhar no facebook compartilhar no linkedin

Usando apenas uma faixa de tráfego, a travessia da ponte necessita da compreensão dos motoristas

​​O Departamento de Estradas de Rodagem do Estado de São Paulo
(DER) iniciou na segunda-feira (28) a construção do muro de contenção (arrimo)
na cabeceira da ponte de Divisa de Estados, que liga São Paulo a Minas Gerais.

Devido à oscilação do reservatório, o aterro da ponte sempre era
atingido pela força da água, danificando a sustentação da ponte.

Isso prejudicava toda a estrutura do asfalto, principalmente na
cabeceira da ponte, no lado paulista (município de Rifaina) provocando
crateras, que colocavam em risco o trânsito de veículos naquele trecho. 

As obras foram autorizadas após vários problemas ocorridos no
local, cujos reparos foram cobrados pela Prefeitura de Rifaina, bem como pela
Câmara de Vereadores.

Para realizar as obras na ponte localizada no km 465, da Rodovia
Cândido Portinari – SP 334, a concessionária ENGIE, responsável pelo
reservatório da UHE Jaguara, precisou conseguir aprovação do Operador Nacional do
Sistema (ONS).

Esse
documento é necessário porque estabelece o regime excepcional de operação
(baixando o nível da represa-reservatório da usina) para as obras a serem feitas
pelo DER

O nível será baixado por um período de 30 dias, a partir do dia
28/10/2019, segundo informe da ENGIE-Jaguara ao DER-SP.

“O reservatório será mantido inferior à cota 557,00”,
comentou o secretário de Governo de Rifaina, Alcides Diniz dos Santos –
Cidinho, que intermediou a solicitação entre o DER e a concessionária
ENGIE-Jaguara.