Formula Chopp

Pacientes com covid em Batatais recebem oxigênio em casa para desafogar hospitais

  • Rosana Ribeiro
  • Publicado em 4 de abril de 2021 às 08:30
compartilhar no whatsapp compartilhar no telegram compartilhar no facebook compartilhar no linkedin

Por meio de projeto voluntário, moradores com boas condições de saúde, mas que ainda precisam de oxigenoterapia, são liberados para tratamento junto da família

Paciente Ercília Silva recebeu alta e vai seguir com oxigenoterapia em casa

 

Um grupo de voluntários desenvolve uma ação para aliviar a ocupação dos leitos de terapia intensiva e enfermaria em hospitais de Batatais.

A iniciativa oferece suporte de oxigênio para pacientes que tiveram Covid-19 e que apresentam condições de seguir com o tratamento em casa.

A aposentada Ercília Garcia da Silva, de 88 anos, é a primeira paciente atendida pelo projeto na cidade.

Ela deixou a Santa Casa da cidade na última quinta-feira (1º) após 14 dias de internação.

“Estou aliviada, sem nenhuma dor e muito feliz”, afirma a aposentada.

Dona Ercília foi diagnosticada com a doença após apresentar falta de ar e queda na oxigenação.

Com a melhora do quadro clínico, recebeu alta com direito à comemoração da equipe médica.

Agora, ela vai continuar a oxigenoterapia, que faz parte da recuperação, em casa.

Apoio solidário

Quando o quadro de saúde do paciente internado melhora, ele ainda precisa receber oxigênio por alguns dias.

O projeto Atendimento Tático Domiciliar (ATD), em parceria com a Santa Casa e a Secretaria da Saúde, dispõe do fornecimento gratuito do insumo para que a pessoa continue o tratamento em casa, junto com a família.

O quarto de dona Ercília recebeu novos equipamentos. O que antes fazia parte do ambiente hospitalar é essencial para mantê-la firme e forte.

Além do cilindro com oxigênio, o projeto também oferece o acompanhamento diário aos pacientes com enfermeiros e fisioterapeutas voluntários. A manutenção da iniciativa é feita através de doações.

“Esse projeto nasceu na condição de poder dar uma alta qualificada para o paciente e ele poder disponibilizar esse leito para outros pacientes mais graves”, explica Luciano Patrocínio dos Reis, um dos idealizadores do projeto.

Capacidade hospitalar

De acordo com a Prefeitura de Batatais, a taxa de ocupação nos leitos é de 86%. Desde o início da pandemia, 3.119 casos da doença foram confirmados e 67 pessoas morreram na cidade.

Segundo a secretária da Saúde Bruna Toneli, a alta constante na taxa de ocupação tem impactado as estruturas hospitalares.

Na ala específica para Covid na rede pública, existem sete leitos de unidade de terapia intensiva (UTI) e seis de enfermaria.

“Desde o dia 28 de fevereiro, nós temos mantido nossa ocupação da área Covid em 100%, não só UTI, mas também enfermaria. Isso tem refletido diretamente no nosso sistema de saúde, em todos os equipamentos e serviços.”

Alívio

Por causa da lotação nos hospitais do estado de São Paulo, os municípios estão na fase emergencial desde 15 de março.

Com a alta qualificada, o projeto pode dar oportunidade a outras pessoas que precisam de tratamento dentro dos hospitais.

“Essa alta não é precoce, é uma alta extremamente qualificada. No momento correto, o paciente consegue ir para domicílio e dar continuidade do oxigênio, junto à família e ainda oportunizar seu leito para outra pessoa que esteja necessitando”, diz Bruna.

A recuperação em casa é um alívio para quem passou tanto tempo internado e é uma recompensa para quem é solidário.

“Eu não tenho palavras e toda que vez eu falo se é gratificante, eu me emociono. Se em cada cidade tivesse um processo desse, ajudaria muito o sistema de saúde do município”, diz Luciano.

Quem quiser ajudar com doações pode entrar em contato pelo telefone (16) 98215-3620.

*Informações G1


+ Cidades