Investigador de polícia pede na Câmara a implantação de escola cívico-militar

  • Joaquim Felix
  • Publicado em 13 de janeiro de 2021 às 12:00
compartilhar no whatsapp compartilhar no telegram compartilhar no facebook compartilhar no linkedin

As escolas abrangem os valores humanos, condições natas nas instituições militares do Brasil, relata servidor público

Proposta foi apresentada no plenário da Câmara Municipal de Franca

Um dos discursos na Tribuna da Câmara Municipal nesta terça-feira, 12, foi de um servidor público, Marcos Reginaldo de Souza Silva.

Ele pediu a criação de uma escola cívico-militar em Franca e o outro, a realização de cirurgia para um jovem que sofreu afundamento de crânio.

Marcos Reginaldo argumentou pela instalação de uma instituição de ensino cívico-militar na cidade. Segundo ele, 108 unidades neste formato foram criadas em 2019 e 2020.

“É um modelo pedagógico muito interessante. As escolas abrangem os valores humanos, condições natas nas instituições militares do Brasil, e seus estudantes se voltam para o trabalho de cidadania. A comunidade de Franca vai agradecer a criação desta escola”, argumentou Silva, acrescentando que a instituição poderia ser construída numa área de 13 mil metros quadrados localizada na região norte de Franca.

Os vereadores Ilton Ferreira (PL) e Della Motta (Podemos) elogiaram a iniciativa, e Gilson Pelizaro (PT) pediu que a questão fosse melhor estudada, porque uma escola cívico-militar exigiria recursos dos quais as redes públicas de ensino não dispõem atualmente.


+ Cotidiano