HISTÓRIAS DA MÚSICA BRASILEIRA

  • mmargoliner
  • Publicado em 20 de fevereiro de 2016 às 20:43
compartilhar no whatsapp compartilhar no telegram compartilhar no facebook compartilhar no linkedin

EU SEI QUE VOU TE AMAR

Quer saber de uma música brasileira eterna ? Taí : EU SEI QUE VOU TE AMAR, de Tom Jobim e Vinícius de Moraes.

Foi composta em 1958 e é considerada a 24ª melhor música brasileira de todos os tempos  pela revista Rolling Stone. É classificada como samba-canção dos mais românticos, aliás, mais canção do que samba. Foi lançada na voz da cantora Lenita Bruno, de formação lírica e esposa do maestro-arranjador Léo Peracchi, de grande competência e renome, na época. Só no ano de 1959 seriam gravadas outras 24 versões da obra e uma, em particular, a da cantora paulistana Elza Laranjeira, viria a ser considerada a melhor entre todas elas.

Dá pra se ter uma ideia, diante do registro de tantas gravações de uma só canção em tão curto espaço de tempo, do prestígio da dupla de compositores, Tom e Vinícius, creditado ao alto nível de seu repertório naquele momento e, por que não dizermos, dali em diante.

Tom Jobim e Vinícius de Moraes

Entre as gravações mais recentes, podemos citar as de Nana Cymmi, Caetano Veloso, Ivete Sangalo, Roberto Carlos e Ana Carolina.

Segundo analistas mais criteriosos, “Eu Sei Que Vou Te Amar” é uma composição “standard” que lembra ligeiramente a canção “Dancing In The Dark”, de Schwartz e Dietz, composta de duas partes com oito compassos de igual melodia que são acabam em diferentes arremates, encaminhadas por sutil alteração harmônica.

Seu romantismo exacerbado remete a alguns sonetos de Vinícius, que embalaram declarações de amor de toda uma geração. Não foi, assim, por acaso que, na versão de grande sucesso criada em 1972 por Maria Creuza, Toquinho e Vinícius, o poeta incorporou em contraponto à voz da cantora uma enlevada declamação do “Soneto Da Fidelidade”.

Por tudo isso, pode-se concluir que “Eu sei Que Vou Te Amar” é uma canção mais de Vinícius de Moraes do que de Antonio Carlos Jobim, sem demérito para o maestro.

(Fontes : Wikipedia e Jairo Severiano / Zuza Homem de Mello in “A CANÇÃO NO TEMPO”, Editora 34).

TEM GENTE BOA DO BRASIL  BRILHANDO MUNDO AFORA !

ELIANE ELIAS é o nome dela. Conhece ? Assim como você, muita gente, por aqui, também não !

Nascida em São Paulo, em 19 de março de 1960, toca piano desde os seis anos e estudou com Amilton Godoy, do lendário Zimbo Trio. Mas, só aconteceu no fantástico mundo da música depois de se mudar em 1981 pros Estados Unidos, onde construiu sólida e invejável carreira.

Trabalhou com Eddie Gómez, com a banda Steps Ahead, com o trompetista Randy Brecker e já gravou cerca de 30 discos, um deles com o pianista e compositor Herbie Hancock.

Eliane Elias

Está entre as maiores estrelas do mundo do jazz e goza de enorme prestígio em toda a Europa e no Japão com repertório voltado, lógico, pro já citado jazz e pra bossa-nova.

Acaba de vencer o Grammy Awards na categoria de melhor álbum de “Jazz Latino”, com o disco “Made In Brazil”, todinho gravado em São Paulo.

BENY CHAGAS MUSIC SHOW

Grandes originais e primorosas releituras. Tocamos Charles Aznavour, Zaz, Ken Peplowsky, Billy Eckstine, Eliane Elias…Coisas que, NORMALMENTE, você não ouve por aí.

Sábado às 9h e domingo às 10h da manhã na Mais Brasil FM-Franca–SP-101,3 Mhz.

Sábado às 11h e domingo 12h em www.francanoticias.com.br.

Sábado e domingo às 11h da manhã em www.radionovaip.com.br-Ribeirão Preto-SP.

Sábado e domingo às 20h em www.ponto1000.com- Ribeirão Preto-SP.

Aguarde mais endereços.

Não abrimos mão de você!

*Esta coluna é semanal e atualizada aos domingos.