Formula Chopp

​Falta de água ameaça pontos turísticos e banhistas no rio Grande

  • Joaquim Felix
  • Publicado em 9 de setembro de 2020 às 22:32
  • Modificado em 8 de outubro de 2020 às 21:12
compartilhar no whatsapp compartilhar no telegram compartilhar no facebook compartilhar no linkedin

Nível de água na represa de Furnas e Mascarenhas é cada vez menor a cada dia, dizem rancheiros

Em alguns lugares conhecidos na região de Delfinópolis, Ibiraci, Cássia e região de Passos os registros são impressionantes

Os proprietários de ranchos e pousadas na represa de Furnas e Mascarenhas de Morais estão ficando extremamente preocupados com a constante baixa do nível de água.

Em alguns lugares conhecidos na região de Delfinópolis, Ibiraci, Cássia e região de Passos os registros são impressionantes.

Com a falta de chuvas e o forte calor, a tendência é de reduzir ainda mais, acreditam os rancheiros.

Um dos internautas que questionou a situação do nível dos reservatórios explicou ao Jornal da Franca que navegou por vários anos e nos últimos 40 anos não tinha visto o nível tão reduzido.

“Chega a ser assustador olhar onde a água deixou marca na altura desses 5 mts. Em relação ao nível que agora encontra”, ponderou Fernando Fernandes.

Na região de Capitólio os pontos turísticos da represa de Furnas têm somado prejuízos a cada final de semana.

Para dezenas de rancheiros é estranho que as forças políticas se quer estão trabalhando nesse assunto.

NIVEL

De 7 para 8 Setembro, por exemplo, Furnas baixou 7 cms, enquanto Peixoto baixou 9 cmts; Marimbondo baixou 45 cms;Água Vermelha baixou 4 cms e Jaguara estão com as comportas abertas com uma vasão de 672 m3 por segundo..

Assim, o reservatório de Furnas está com 46.43% de sua capacidade apenas (760.47 mts anm.), Peixoto com apenas 41.96%(659.37 mts anm.)