Em 7 meses de pandemia, Jeriquara não regista mortes e segue controle sanitário

  • Teo Barbosa
  • Publicado em 24 de fevereiro de 2021 às 14:01
compartilhar no whatsapp compartilhar no telegram compartilhar no facebook compartilhar no linkedin

Detecção precoce e acompanhamento justificam a recuperação de moradores infectados

Centro de Saúde de Jeriquara tem feito um trabalho diferenciado para Covid (foto: Jeferson Severiano-G1)

A cidade de Jeriquara tem feito um trabalho diferenciado no enfrentamento à Covid 19. Sete meses após o primeiro caso de Covid-19, Jeriquara (SP), a 44 quilômetros de Franca, segue sem registrar mortes por complicações da doença. A cidade de 3.151 moradores soma, até esta terça-feira (23), 160 casos da doença, a maioria já recuperada.

Em entrevista ao G1, a dona de casa Sueli Munhoz é uma das moradoras que superou a doença. Aos 68 anos, ela começou a sentir sintomas da Covid-19 no dia 21 de janeiro. Como a oxigenação estava baixa, foi internada em um hospital de Pedregulho (SP) e transferida para Ituverava (SP), onde passou três dias na Unidade de Terapia Intensiva (UTI).

A idosa lembra da dificuldade, mas afirma que a fé e o pensamento na família a fizeram lutar pela recuperação.

PRIMEIRO CASO

O primeiro caso da doença na cidade foi registrado em julho de 2020. Na região de Franca, Jeriquara foi uma das últimas a confirmar quadros de infecção entre os moradores. Agora, é a única sem registro de óbitos.

A diretora do Departamento de Saúde, Juliana Sarreta Lucindo, atribui ao acompanhamento médico o fato de a cidade não ter registrado nenhuma morte.

Para evitar aglomeração no posto de saúde e reduzir o risco de transmissão, uma tenda foi montada ao lado da recepção. A Prefeitura também destaca campanhas de conscientização pelo uso de máscara e álcool em gel.

VACINA
A cidade espera que a vacinação possa ser a chave para que a vida volte à normalidade. Dona Sueli, que ainda espera pela dose, fica aliviada ao pensar que ninguém morreu de Covid-19, e pede que todos continuem tomando cuidado.

Ao todo, 151 doses da vacina foram aplicadas até agora. O Departamento de Saúde aguarda um novo lote para seguir com a campanha de imunização.

“Já vacinamos todos os idosos acima de 90 anos, todos os idosos de 85 a 90 e agora a gente está aguardando a chegada de novas vacinas para começar a atender a população de 80 a 85 anos”, diz Juliana.