Eleições 2020: bancada do rádio de Franca estará “off” na Câmara Municipal

  • Joaquim Felix
  • Publicado em 20 de novembro de 2020 às 21:56
  • Modificado em 11 de janeiro de 2021 às 08:57
compartilhar no whatsapp compartilhar no telegram compartilhar no facebook compartilhar no linkedin

Primeiro suplente do PL e com votação maior do que de eleitos, Ádamo Alves foi o único a honrar o microfone

Candidatos do rádio que disputaram vaga na Câmara Municipal e não foram eleitos

Audiência, popularidade, votos, mandato garantido. A receita que parecia infalível em Franca foi dizimada pelas urnas nas eleições deste ano. 

O rádio já não é mais o mesmo. Após vários mandatos tendo pelo menos um representante no plenário, a bancada do microfone estará off a partir do ano que vem na Câmara Municipal.

Oito radialistas disputaram as eleições para vereador em Franca. O único que honrou o microfone foi Ádamo Alves (PL). 

Ele somou 1.838 votos, desempenho que garantiu a ele o 12º lugar entre os mais votados. 

Ádamo teve mais votos que seis vereadores eleitos, mas ficou fora por causa do quociente eleitoral. 

É o primeiro suplente do PL. Se tivesse recebido cinco votos a mais, estaria eleito. 

Os demais radialistas não conseguiram romper a barreira dos mil votos. 

O atual vereador Tony Hill (DEM) pagou o preço de ser o líder do prefeito Gilson de Souza na Câmara e foi reprovado pelas urnas: teve apenas 906 votos. 

Marcelo Valim (PSDB), que já foi vereador, somou 989 votos, e ficou longe de uma cadeira

O “Ibope” dos demais radialistas foi ainda mais baixo: Marcos Junior (PODE), teve 651, Marcos Silva (REPUBLICANOS), 289 votos, Bia Garcia (DEM), 112, Tonim Radialista (PROS), 63, e Leandro América (PSDB), com apenas 55 votos.

A este grupo deve-se juntar o atual vereador Corrêa Neves Júnior (PSD) que, antevendo as dificuldades em se reeleger, desistiu de disputar as eleições.