Dia de Nossa Senhora da Imaculada Conceição, a Padroeira de Franca

  • mmargoliner
  • Publicado em 8 de dezembro de 2015 às 06:41
compartilhar no whatsapp compartilhar no telegram compartilhar no facebook compartilhar no linkedin

Saiba um pouco mais sobre a Padroeira da Cidade e da história da Diocese de Franca

Vista interna da Catedral de Nossa Senhora da Conceição, Padroeira da cidade de Franca (Foto Arquivo)

A Imaculada Conceição é uma festa litúrgica da Igreja Católica celebrada em 8 de dezembro. A afirmação da Imaculada Conceição de Maria pertence à fé cristã. É um dogma da Igreja que foi definido no século XIX, após longa história de reflexão e de amadurecimento.

Imaculada Conceição de Maria significa que a Virgem Maria foi preservada do pecado original desde o primeiro instante de sua existência. Nascendo, há dois mil anos, na zona da Palestina, Nossa Senhora teve como pais São Joaquim e Santa Ana.
A maternidade divina de Maria é base e origem de sua imaculada conceição. A razão de Maria ser preservada do pecado original reside em sua vocação: ser Mãe de Jesus Cristo, o Filho de Deus que assumiu nossa natureza humana. 
Ainda que de maneira implícita, a Igreja encontrou na Bíblia os fundamentos desta doutrina. Em seu Evangelho, São Lucas diz que Maria é “cheia de graça” (Lc 1,28), significando que ela está plena do favor de Deus, da graça divina. Se está totalmente possuída por Deus, não há, em sua vida e coração, lugar para o pecado.
O dogma de Nossa Senhora foi proclamado pelo papa Pio IX, em 1854, resultado da devoção popular aliada a intervenções papais e infindáveis debates teológicos. 
No Brasil existem cerca de 533 paróquias dedicadas à Virgem Imaculada. A primeira imagem chegou em uma das naus de Pedro Álvares Cabral. O culto à Imaculada Conceição no Brasil teve início na Bahia, quando Tomé de Souza chegou a Salvador trazendo uma escultura da santa.

Ela foi protetora do nosso país no período colonial e foi proclamada Padroeira do Império Brasileiro por D.Pedro I. Já no despontar do século XX o título cedeu lugar a Nossa Senhora de Aparecida, que é uma antiga imagem da Imaculada Conceição encontrada nas águas do rio Paraíba do Sul.

Dom Diógenes da Silva Mathes, primeiro Bispo e atual Bispo Emérito da Diocese de Franca (Foto Arquivo)

Diocese

A Diocese de Franca foi desmembrada do território da Arquidiocese de Ribeirão Preto. Em 1930 foi feita a primeira tentativa de criação da diocese, e em 1942 a segunda. A terceira tentativa, que culminou na criação da diocese de Franca teve início em 1967.

Por instrução do Núncio Apostólico, Dom Sebastião Baggio foram iniciados os preparativos remotos, com a criação de novas paróquias, principalmente na cidade de Franca. Neste período era Arcebispo de Ribeirão Preto, Dom Felício César da Cunha Vasconcellos.

Em 1968, o Conselho Presbiteral da Arquidiocese de Ribeirão Pretodeu o parecer favorável à criação da nova diocese, e encaminhou o pedido formal à Comissão Episcopal do Regional Sul I da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil.

No dia 8 de dezembro deste mesmo ano, por um decreto, que foi executado aos 2 de fevereiro do ano seguinte, foi criada a Vigararia Episcopal de Franca, abrangendo os seguintes municípios: Franca, Rifaina, Pedregulho, Cristais Paulista, Igarapava, Buritizal, Aramina, São José da Bela Vista, Ribeirão Corrente, Jeriquara, Restinga, Patrocínio Paulista e Itirapuã.

Na mesma ocasião foram nomeados, Dom Bernardo José Bueno Leite Miele, Arcebispo-coadjutor de Ribeirão Preto, como Primeiro Vigário Episcopal, e Dom José Álvares Mácua, Prelado Emérito de Lábrea, como Segundo Vigário Episcopal.

No dia 25 de fevereiro foi instalada a Sub-Cúria de Franca, tendo como Chanceler Frei José Pinto Ribeiro OAR e como Procurador Frei Custódio Guimarães de Miranda OAR. Após reunião com representantes de todas as Paróquias da Vigararia Episcopal, foi constituída a Comissão Central para a organização do patrimônio, que teve à frente, como presidente executivo, o Dr. Hélio Palermo, Prefeito da cidade de Franca.

Dom Paulo Roberto Beloto, atual Bispo da Diocese de Franca (Foto Diocese de Franca)

No dia 17 de julho de 1969 foi adquirida a residência episcopal situada à rua Campos Sales, número1416. Acolhendo o pedido de várias pessoas foram incluídos no projeto da futura Diocese os municípios de Guará, Ituverava, São Joaquim da Barra, Orlândia, Sales Oliveira e Nuporanga.

Depois de receber do Núncio Apostólico, Dom Humberto Mozzoni, instruções mais precisas para a organização da Diocese, Dom Felício e Dom Miele levaram à Santa Sé o pedido oficial com data de 29 de março de 1970. A criação da Diocese aconteceu no ano seguinte, no dia 20 de fevereiro, pela bula papal Quo Aptius.

O primeiro bispo foi Dom Diógenes Silva Matthes, nomeado no dia 18 de março de 1971. Sua ordenação episcopal foi realizada no dia 11 de junho na Catedral Metropolitana de Ribeirão Preto. No dia 12 de junho, em cerimônia presidida por Dom Bernardo José Bueno Miele, tomou posse da Diocese de Franca.

Dom Paulo Beloto

O Papa Francisco nomeou Dom Paulo Roberto Beloto como novo Bispo da diocese de Franca em outubro de 2013. Dom Paulo Roberto Beloto era, até então, bispo de Formosa (GO) e é o 4º bispo diocesano de Franca.

O religioso tem 58 anos, estudou Filosofia no Seminário Bom Jesus, em Aparecida (SP) e Teologia, na Faculdade Nossa Senhora da Assunção, em São Paulo.

Em 1986, foi ordenado sacerdote para diocese de Marília, onde atuou como Coordenador do Centro Diocesano de Pastoral, professor do Instituto Teológico Rainha dos Apóstolos, Pároco da paróquia São Miguel Arcanjo, entre outros cargos.

Dom Paulo Roberto Beloto foi nomeado bispo de Formosa em 2005, tendo recebido a ordenação episcopal em 2006. O bispo da diocese de Franca também é membro da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) desde 2011.