Croque-monsieur

  • Cesar Colleti
  • Publicado em 7 de junho de 2017 às 23:01
  • Modificado em 29 de outubro de 2020 às 23:56
compartilhar no whatsapp compartilhar no telegram compartilhar no facebook compartilhar no linkedin

De origem controversa, o mais famoso sanduíche Francês (uma espécie de misto quente alinhado ) já era servido por volta de 1910 nos bistrôs parisienses. Segundo a Enciclopédia Larousse Gastronomique, o primeiro Croque-monsieur teria sido servido no verão daquele ano, num restaurante chamado Le Trou dans le Mur, em Paris.
Uma possível versão melhorada do Welsh Rarebit inglês, o Croque-monsieur é ótima opção para uma refeição rápida e leve.  Charmoso, harmoniza bem com um bom pinot-noir – francês claro.

Delicioso ver a personagem de Maryl Streep, no filme Simplesmente Complicado,  preparando  de forma descontraída o sanduíche para um charmoso arquiteto,  enquanto seu ex-marido os espia pela janela da casa. Ótimo filme, ótima cena.

Em casa, gosto de prepará-lo aos sábados, no almoço, para meus filhos e amigos. Companhias muito boas para perder tempo no fogão.

O Croque-monsieur clássico é feito com presunto e queijo entre duas fatias de brioche, coberto com molho bechamel e mais queijo ralado por cima para gratinar. Abelhudo, gosto de incrementar: substituo o presunto cozido por fatias de presunto de Parma, e o queijo Emmenthal por Gruyere. Dispenso também o brioche, acho muito doce, macio e difícil de encontrar no formato de pão de forma.  Prefiro um pão artesanal que asso no forno de casa – casca fina, crocante e miolo macio, leva na massa queijo gruyere e  um toque de cominho, fica perfeito.

Rápido e fácil, o bechamel também é feito artesanalmente..

Derreto 50 gr de manteiga sem sal numa caçarola em fogo médio, acrescento peso igual de farinha, cozinho a mistura até  ficar num tom marfim. Acrescento 1 litro de leite frio. Mexo insistentemente com o fuet até dissolver  a mistura de manteiga e farinha (roux). Abaixo o fogo. Junto metade de uma  cebola espetada com 3 cravos, 2 folhas de louro e noz moscada ralada. Não coloco sal. Por ser um molho mãe (base pra outros molhos),  prefiro não salgá-lo. Deixo o sal para quando for usar na preparação escolhida.  Espero encorpar, mexendo vez ou outra.  Desligo fogo. Se necessário passo pela peneira. Deixo esfriar. Guardo na geladeira.

Já temos o pão, o bechamel, o queijo e o Parma. Hora de montar o almoço.

Pré-aqueço o forno.
Douro numa frigideira um dos lados de duas fatias do pão.  Na parte macia espalho um pouco de mostarda Dijon e uma colherada do molho bechamel re-aquecido e corrigido com sal  (se estiver muito grosso, aqueço-o com um pouco de leite ).  Sobreponho as fatias de presunto Parma e Gruyere. Fecho o senhor crocante.

No refratário que será finalizado, cubro o sanduíche com uma generosa camada de bechamel e  gruyere ralado . Forno. Deixo em temperatura alta ate o queijo derreter e virar uma dourada e delicada camada crocante. Voilà!

No prato, sirvo o Croque-monsieur ladeado por  salada de folhas temperadas com azeite, um bom vinagre e pimenta-preta moída na hora. As crianças o preferem também com batatas fritas, nós, meninos velhos, compartilhamos.

Para harmonizar uma boa cerveja de trigo – só para os meninos velhos.

Inté!

*Essa coluna é semanal e atualizada às quartas-feiras.