Formula Chopp

Comissão de vereadores recomenda aulas suspensas até vacinação de todos professores

  • F. A. Barbosa
  • Publicado em 5 de junho de 2021 às 19:00
compartilhar no whatsapp compartilhar no telegram compartilhar no facebook compartilhar no linkedin

Câmara criou CEAR para avaliar retorno seguro às aulas para estudantes e profissionais da Educação

Câmara criou CEAR para avaliar retorno seguro às aulas para estudantes e profissionais da Educação. Vereador Kaká integrou comissão

Os vereadores apresentaram, nesta semana, o relatório final da CEAR (Comissão Especial de Assuntos Relevantes) da Câmara que acompanhou o retorno às aulas presenciais nas escolas francanas.

Uma das principais sugestões do documento é que o retorno às aulas só aconteça após todos os profissionais da educação terem recebido a segunda dose da vacina contra a covid-19.

Fizeram parte dos trabalhos os vereadores Gilson Pelizaro (PT), Ilton Ferreira (PL) e Kaká (PSDB), respectivamente, o presidente, o relator e o 3º membro.

Os trabalhos começaram no final de janeiro deste ano, visando a garantir que os estudantes não fossem prejudicados em seu processo de escolarização, de modo a evitar o aumento das desigualdades de acesso e de oportunidades.

Para atingir esse objetivo, a CEAR realizou reuniões com a dirigente regional de ensino de Franca, Silma Rodrigues Leite, com a secretária municipal de Educação, Márcia Gatti, com o então chefes da Vigilância em Saúde, Felipe Granzotti, e o médico da Vigilância Epidemiológica, Homero Rosa Júnior.

A opinião dos sindicatos sobre a volta às aulas presenciais também foi buscada pela comissão.

Representantes do Sindicato dos Servidores e Empregados Públicos Municipais de Franca e Região, da APOESP (Sindicato dos Professores do Ensino Oficial do Estado de São Paulo) e da AFUSE (Sindicato dos Funcionários e Servidores da Educação do Estado de São Paulo) posicionaram-se contrariamente à retomada, devido ao alto risco de contaminação pelo novo coronavírus.

Tendo em vista todas as tratativas, a CEAR recomendou em seu relatório que o retorno às aulas presenciais fosse implementado somente após a vacinação de todos os profissionais da educação com a 2ª dose da vacina.

Também ressaltou a necessidade da implantação de todos os protocolos sanitários nas escolas de todo o município, como forma de garantir o retorno presencial às aulas com segurança.

Outras sugestões da frente foi a inclusão de todos os trabalhadores da educação, inclusive profissionais readaptados, como prioritários no PEI (Plano Estadual de Imunização) contra a covid-19; e a celebração de convênio da Prefeitura com lojas ou a abertura de linhas de crédito facilitado para a aquisição de suplementos de informática aos professores.

O motivo para essa segunda recomendação é que, durante a pandemia, os docentes foram obrigados a ministrar as aulas por videoconferência e muitos deles não dispõem de meios adequados para essas atividades.

Gilson Pelizaro avalia que valeu a pena o trabalho. “Foram mais de quatro meses de trabalho. Fizemos uma série de reuniões e falamos com autoridades. Acho que o nosso trabalho foi importante porque muitas das sugestões que encaminhamos para a Secretaria Municipal de Educação e a Diretoria Regional de Ensino foram acatadas”, afirmou o vereador.


+ zero