Basquete de Franca pode ser campeão paulista em caso de vitória hoje

  • Joaquim Felix
  • Publicado em 10 de novembro de 2020 às 13:48
  • Modificado em 11 de janeiro de 2021 às 07:58
compartilhar no whatsapp compartilhar no telegram compartilhar no facebook compartilhar no linkedin

Hélinho pode superar o recorde de seu pai, Hélio Rubens se o Franca sagrar-se vitorioso contra o Paulistano

O técnico Helinho não escondeu a emoção em levar o Franca à decisão do Paulista pela terceira vez consecutiva. 

Vitorioso em 2018 e 2019, caso complete a trinca, alcançará um feito que seu pai, Hélio Rubens, não conseguiu em suas quase 30 temporadas como técnico da equipe.

Como jogador, Hélio pai venceu o Paulista por três vezes consecutivas na década de 1970 (1975, 1976 e 1977), mas como técnico bateu na trave em 2008 ao ter levado o troféu em 2006 e 2007.

– Estou emocionado, é um ano atípico, com o nosso time extremamente jovem, mas jovem de valores, os mais experientes passando essa confiança aos mais novos, e mais que isso, assumindo a responsabilidade nos momentos importantes, todos foram decisivos nesse Final Four – comentou Helinho.

E os mais experientes decidiram mesmo na semifinal diante do São Paulo, no último sábado, no ginásio do Paulistano. 

O ala Danilo Fuzaro fez 18 pontos, enquanto André Goes, além da mesma pontuação, contribuiu com oito assistências. 

Já Elinho tem sido o maior passador do Paulista e Lucas Dias o maior pontuador da competição. Contra o Tricolor, ele anotou 24 pontos.

– Sabíamos do potencial ofensivo do São Paulo e que teríamos que tirar isso em boa parte do jogo, já que eles têm muita qualidade. Conseguimos tirar essa força com uma defesa bem agressiva, no segundo tempo eles entraram no jogo, porque eles têm jogadores de ótimo nível técnico, e aí nós tivemos a paciência e a personalidade para nos momentos decisivos assumir a responsabilidade e ganhar o jogo. O Final Four é isso, equilibrado, e nós merecemos a vitória, que foi superimportante para tudo que estamos fazendo – comentou o técnico, que perdeu seis jogadores na paralisação da pandemia e repôs o elenco com pratas da casa.

(fonte: G1)