Acidentes em pista molhada têm redução de 73% na região, em dezembro, diz Entrevias

  • Joaquim Felix
  • Publicado em 14 de janeiro de 2021 às 14:01
compartilhar no whatsapp compartilhar no telegram compartilhar no facebook compartilhar no linkedin

Na contramão da estatística, mês apresentou maior índice de precipitações em cinco anos em rodovias administradas pela Entrevias

Em dias de chuva, o tempo de resposta da frenagem é mais demorado, o que pode ser agravado se algum pneu estiver ‘careca’

O trabalho operacional da Entrevias Concessionária de Rodovias refletiu na redução de aproximadamente 73% nos acidentes com causa provável de “chuva ou pista molhada”, em dezembro de 2020 na comparação com o mesmo período de 2019.

Esse dado demonstra os resultados referentes a limpeza das calhas de drenagem, que impedem o acumulo de água na rodovia, que gera a aquaplanagem e possíveis acidentes, além do programa “Vida em Movimento”.

Com a instabilidade do tempo, que teve início principalmente em dezembro do ano passado, ocasionando pancadas de chuvas, o motorista que vai trafegar pelas rodovias precisa certificar-se do funcionamento dos equipamentos de segurança do veículo e redobrar os cuidados na direção.

Somente dezembro de 2020, na região choveu em torno de 450mm, segundo dados do departamento de engenharia, meio ambiente e faixa de domínio. Muito além de 2019, que esteve próximo de 180mm. E ainda, a média de 2015 a 2019 foi em torno de 150mm no último mês do ano. Ou seja, triplicou a quantidade de chuva em relação a média dos últimos 5 anos.

“A redução de acidentes em um período de chuva intensa, como foi o exemplo, é resultado dos investimentos que tornam as rodovias mais seguras e com boa infraestrutura e prestação de serviço com atendimento aos usuários – entre atendimento de emergência, socorro mecânico e guinchamento, além de campanhas de conscientização. Sabemos que a direção segura também contribui para redução de acidentes”, completa Fábio Ortega, gestor de segurança viária da Entrevias.

Outra recomendação aos usuários é que antes de pegar a estrada o motorista deve checar as condições dos pneus, das lanternas, palhetas do limpador, limpeza e condições do para-brisa.

“Em dias de chuva, o tempo de resposta da frenagem é mais demorado, o que pode ser agravado se algum pneu estiver ‘careca’. O motorista também deve considerar seus próprios limites. Se a visibilidade for pouca, o melhor é fazer uma parada na viagem em postos de combustíveis ou nos SAUs (Serviço de Atendimento ao Usuário)”, completa.

As rodovias administradas também estão equipadas com tachas delineadoras posicionadas no meio e nas laterais da rodovia para indicar a largura da pista; Placas refletivas para sinalizar trecho em obras, informações educativas e regulamentações; Faixa de sinalização horizontal, Painéis de Mensagens Variáveis para informar sobre tráfego e condições da via, rede wi-fi para contato com a Concessionária e 380 câmeras de alta resolução que ajudam o monitoramento feito pelo CCO (Centro de Controle Operacional).